Polícia Civil prende principal articulador da fuga dos terrorista de Confresa

A Polícia Civil de Mato Grosso prendeu mais um investigado ligado ao bando criminoso que atacou uma empresa de segurança de valores na cidade de Confresa, no dia 09 de abril. O criminoso foi identificado na investigação da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e Delegacias da Regional de Confresa como o principal articulador do apoio logístico à quadrilha. Ele foi preso no último fim de semana, na cidade de Araguaína, no Tocantins.

A investigação apurou que N.J.A., de 30 anos, havia fugido para Tocantins após a Polícia Civil de Mato Grosso identificar e prender no Pará dois responsáveis pelo apoio à quadrilha. A prisão contou com apoio da 3ª Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado de Araguaína.


No sudeste paraense, a Polícia Civil mato-grossense cumpriu, na semana passada, com apoio do Núcleo de Apoio à Investigação de Redenção, mandados de buscas em duas residências que serviram de base para os criminosos. Imagens coletadas na investigação mostram o momento em que o bando sai das casas e depois segue em direção a Mato Grosso, pela BR-158, indo para Confresa, em cinco automóveis de luxo blindados e outros veículos populares.



Uma das casas usadas pelo bando foi alugada por N.J.A. A Polícia Civil apurou também que ele utiliza nomes falsos e é investigado por crimes no Tocantins. A investigação comprovou que o preso, além do apoio ao bando em Redenção, inclusive participou de todo o planejamento, pois desde o aluguel do imóvel ele já atuava na ação criminosa que amedrontou a cidade de Confresa.



“Essa prisão no Tocantins é resultado da continuidade do trabalho de investigação feito em Redenção, quando identificamos o N.J.A. descobrimos também que ele tinha fugido para Araguaína. Ele é o mais importante apoio logístico do grupo em Redenção”, explicou o delegado titular da GCCO, Gustavo Belão.

Prisões em Redenção

Outros dois suspeitos de apoiar o grupo que atacou Confresa foram presos na semana passada, em Redenção. “As buscas resultam de uma apuração qualificada, que contou com a união de esforços das Polícias Civis de Mato Grosso e Pará, e chegou aos suspeitos apontados nas investigações como os responsáveis pelo apoio logístico aos criminosos que diretamente executaram o crime contra a transportadora de valores”, pontuou o delegado regional de Confresa, Bruno Gomes.



Durante interrogatório, um dos suspeitos em Redenção alegou que conheceu o criminoso preso em Tocantins e este pediu que alguns veículos e parte da quadrilha que atacou Confresa ficasse em sua casa.

A Polícia Civil reuniu e analisou centenas de horas de imagens de câmeras de segurança de residências e estabelecimentos comerciais localizados em Redenção e identificou o exato momento em que os criminosos saem das residências em cinco veículos de diversos modelos – Land Rover Sport, Kia Sorento, Hilux SW4, Dodge Durango e Mitsubishi Outlander, além de outros carros populares, no dia 09 de abril, em direção a Confresa.



Os veículos foram abandonados em estradas da região dos municípios de Confresa e Santa Terezinha durante a fuga do grupo criminoso, que não conseguiu acessar o cofre da empresa de segurança, alvo do ataque coordenado, para concretizar o roubo.

Atualização

A operação policial para identificar e prender o grupo criminoso conta com 24 dias de diligências ininterruptas. O saldo do trabalho integrado das forças de segurança é de 15 criminosos neutralizados e dois presos na caçada ao bando, em região de mata na cidade de Pium, estado de Tocantins. Outros três foram presos e um foragido, que está com mandado de prisão em aberto, nas investigações da Polícia Civil de Mato Grosso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *