Política

“Banco Central independente não é imune à críticas”, dispara Emanuelzinho

O vice-líder do governo, Dep. Emanuelzinho (MDB-MT) foi ao plenário da Câmara para chamar atenção quanto a polêmica sobre a autonomia do Banco Central e questionou os juros altos e a dependência do país em exportar prioritariamente as commodities. O parlamentar levantou pontos de atraso na industrialização do Brasil e pontuou metas para os próximos quatro anos.

“Nós temos um Brasil que tá virando fazendão porque só vive da exportação da proteína animal, do minério e de outras commodities. Além disso, quando há choque de demanda a indústria internacional ajusta a oferta, já o Brasil vive refém das commodities que ajustam, sobem preço, sem contar o prejuízo de empresas fechadas por conta de juros altos e injustificáveis”, disse Emanuelzinho.

O emedebista destacou a necessidade de metas de avanço e industrialização nos próximos quatro anos do governo Lula. Em sua análise, “nós estamos na contramão da história. Muitos países da Europa já estão fazendo a desindustrialização positiva, migrando para o setor de serviço e o Brasil nem pela industrialização necessária passou”.

Emanuelzinho concluiu seu 1º discurso do ano com uma visão otimista, sugerindo que o aumento na taxa de investimentos do Brasil, com forma de apoio e crescimento econômico.

“Com o crescimento econômico é preciso sair dos 16% e ir para faixa de 25%, 26% a 27%, para que aí a gente gere renda, gere emprego, as famílias consumam, o governo arrecade e possa investir de volta na sociedade e propiciar o ambiente favorável aos negócios,à abertura de empresas e um Brasil que cresça”, concluiu.

Veja o discurso de Emanuelzinho na íntegra:


https://www.youtube.com/watch?v=jUorlty0pO4

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *