Vereador quer CPI contra prefeito por “mar de corrupção”

O vereador Dilemário Alencar (Podemos) protocolou na manhã desta segunda-feira (6) na Câmara um novo pedido de instauração de uma comissão processante contra o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) por infrações político-administrativas na Secretaria Municipal de Saúde.

A instauração de uma comissão processante promove uma investigação para posterior cassação do mandato do prefeito. 

Segundo ele, o pedido foi feito com base em novas provas de malversação de recursos públicos que vieram à tona através do Ministério Público Estadual  (MPE) e do ex-interventor da saúde.  

Em documento com mais de 1.500 páginas, Dilemário cita que é preciso a Câmara investigar a denúncia de que existe um rombo de aproximadamente R$ 390 milhões na saúde de Cuiabá, sendo R$ 229,4 milhões na Secretaria Municipal de Saúde, e R$ 160 milhões na Empresa de Cuiabana de Saúde Pública.

Citou também os quatro milhões de comprimidos vencidos encontrados no Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá (CDMIC) pelo Conselho Regional de Farmácia do Estado do Estado de Mato Grosso.  

“No pedido, anexei diversas denúncias graves de corrupção explicita com os recursos da Prefeitura de Cuiabá. Do rombo existente na saúde, R$ 44,9 milhões seriam de despesas sem a existência de contratos”, disse Dilemário.

A Câmara deve também fiscalizar esses gravíssimos casos de corrupção que saltam aos olhos de toda a sociedade

“Indubitavelmente é preciso a Câmara instalar uma comissão processante, principalmente depois que o prefeito, na semana passada, através da Procuradoria Geral do Município, confessou ao desembargador Orlando Perri de que na saúde de Cuiabá existe um rombo em dívidas de R$ 200 milhões. Oras, o prefeito confessa R$ 200 milhões e faz cara de paisagem? Sem dúvidas isso é um motivo grave para a Câmara cassar o mandato dele”,acrescentou.

Outra denúncia narrada pelo vereador no seu pedido é sobre o grande endividamento da Prefeitura.  

“Veja, o próprio prefeito já confessou que só na saúde existe dividas de mais de R$ 200 milhões. Imagina, então, quanto não deve estar devendo as demais 20 secretarias da Prefeitura? Informações têm chegado a mim que ao todo a Prefeitura de Cuiabá está devendo mais de R$ 700 milhões para fornecedores. Isso deve ser investigado também por uma comissão processante urgentemente”, afirmou..   

Salário dos servidores

Dilemário dissem por fim, que parcelas do empréstimo consignado descontadas no salário do servidor não está sendo repassada pela Prefeitura aos bancos. Os servidores estão recebendo cobranças de bancos, como a Caixa Econômica e Banco do Brasil. Para ele, isso é mais um crime existente na gestão do prefeito, pois é apropriação indébita. 

“Todo esse mar de corrupção existente na Prefeitura de Cuiabá não pode deixar de ser investigado pela Câmara Municipal, afinal, o Sindicato dos Médicos fez a sua parte, o Ministério Público fez sua parte, o Judiciário está fazendo a parte dele, e a Câmara deve também fiscalizar esses gravíssimos casos de corrupção que saltam aos olhos de toda a sociedade”, completou.

por Mídia News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *