conecte-se conosco


Política MT

Walace recua e garante que esposa não será candidata

Publicado

em

O ex-prefeito de Várzea Grande, Walace Guimarães (PV) e a ex-primeira dama, Jaqueline Beber Guimarães (PV), conhecida como Dra. Jaqueline, confirmaram que não vão concorrer a nenhum cargo nas eleições 2018, após alguns sites divulgarem o nome de Jaqueline Baber Guimarães como Deputada Estadual, o contrariaria a nova estratégia definida de que a família Guimarães iria apoiar a candidatura para deputado estadual de Alan Zanatta (PTB).

 

Em entrevista exclusiva ao MT de Fato, Walace confirmou de que a informação se tratou de um erro, pois os nomes dos dois não foram retirados das atas dos candidatos. Ele reclamou do sensacionalismo de alguns sites, dizendo que o compromisso sempre foi pessoal com Zanatta.

 

‘’Realmente foi divulgada esta informação e foi um erro. Existem sites sensacionalistas, que não é o caso de vocês.  Eu nunca fiz compromisso com o Alan Zanatta. Meu compromisso, com o Alan Zanatta, que é meu amigo pessoal, é de que eu poderia apoia-lo, se eu não fosse candidato. Nunca fiz compromisso com ele’’.

 

Ainda definindo quem serão os candidatos apoiados pelo casal, o ex-prefeito disse que dará prioridades para amigos e pretende subir ao palanque para fazer campanha.

 

‘’O Alan é uma pessoa que tenho compromisso de consideração, amizade e se eu puder ajudar com alguma coisa, claro que irei ajudar, como posso apoiar os candidatos dentro do PV. Os apoios serão pelas considerações. Não é por cargo, pois eu sou médico, minha mulher é médica. Não preciso de uma vaga de emprego política, pois sou concursado. Vou fazer as coisas dentro da consideração, amizade e respeito, com aquelas pessoas que já me ajudaram’’.

 

O casal Guimarães não descarta um retorno futuro a político, mas não nestas eleições.

 

‘’Vamos preparar um projeto futuro, mas agora vou me dedicar exclusivamente à medicina, que venho me dedicando a três anos e planejar futuramente, se entendermos que temos condições de sermos candidatos, quem sabe daqui a quatro anos. Vou analisar junto com a minha família, amigos mais próximos e apoiadores’’.

 

Inicialmente, Walace havia cogitado uma pré-candidatura a Deputado Estadual e a esposa dele, Jaqueline Beber, para Deputada Federal, mas a ideia foi desconsiderada por motivos pessoais e jurídicos, no caso do ex-prefeito.

Fonte: Gabriel Oliveira-MT de Fato

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Prefeitos da Baixada Cuiabana articulam disputa pela presidência da AMM; Prefeito de Poconé pode encabeçar chapa

Publicado

em

Para “quebrar” a hegemonia do atual presidente da AMM, Neurilan Fraga (PSD) – que pretende disputar novamente a presidência da instituição, outros grupos já começaram se movimentar.
O atual vice-presidente o prefeito de Água Boa (747 km de Cuiabá), Mauro Rosa da Silva (PSD) – o Maurão e o prefeito de Araguainha (467 km de Cuiabá), Sílvio José de Morais Filho (PSD), já iniciaram as conversas e colocaram literalmente o “bloco na rua”. Ambos já iniciaram a articulação juntos aos prefeitos para reforçar suas candidaturas.
Neurilan que desistiu de disputar por uma vaga na Câmara Federal, conseguiu manter-se à frente da AMM, nos últimos dois anos, após manobra aprovada na calada da noite e com conivência de vários prefeitos que aprovaram que o cargo de presidente possa ser ocupado por pessoas sem mandato eletivo.
Mesmo reconhecendo toda a luta em prol dos municípios nos últimos anos e os embates travados com o governo para regularizar pendências com várias cidades, prefeitos da Baixada Cuiabana, decidiram montar um bloco para definir que rumo devem tomar, se lançar uma chapa, ou compor com um grupo, onde o espaço seja garantido.
O nome apontado por boa parte dos prefeitos da Baixada é do prefeito de Poconé, Tatá Amaral (PR), que saiu fortalecido nas eleições de 07 de outubro, conseguindo expressiva votação para os candidato apoiados pelo seu grupo.
Em entrevista ao MT de Fato, Tatá enfatizou o trabalho de Neurilan, seus projetos, mas revelou que os prefeitos da Baixada querem participar efetivamente do processo no próximo mandato na instituição.
Amaral não confirma seu nome, mas disse que um diálogo será aberto na próxima semana com outros prefeitos para tomar uma decisão coletiva que contemple os representantes das cidades como Nossa Senhora do Livramento, Rosário, Jangada, Rosário Oeste, Santo Antônio de Leverger, Acorizal, Jangada.
A votação para eleger a nova presidência da AMM está marcada para 7 de dezembro. As chapas deverão registrar candidatura até 21 de novembro.

A AMM é uma associação que possui um orçamento anual próximo de R$ 5 milhões, conforme balanços contábeis disponíveis de 2017. Já o salário do presidente da associação soma mais R$ 20 mil mensais.

 

Fonte: Elisangela Neonuceno-MT de fato

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana