conecte-se conosco



Cultura

‘Tereza de Benguela e a Mulher Negra’ é tema de roda de conversa promovida por João Batista

Publicado

em

O deputado estadual João Batista (Pros), promove na próxima quinta-feira (15), na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), a Roda de Conversa ‘Tereza de Benguela e a Mulher Negra’. O evento tem como objetivo principal o debate sobre as desigualdades sociais e raciais enfrentadas pelas mulheres negras na sociedade.

De acordo com o parlamentar, o encontro será a oportunidade de reviver a história de Tereza de Benguela e fortalecer o combate ao preconceito racial. “Apesar da instituição da Lei 12.987/14, que dispõe sobre a criação do Dia Nacional de Tereza de Benguela, ainda há muito a ser feito para haver igualdade racial no Brasil. Nesta roda de conversa teremos a oportunidade de ouvir a sociedade sobre o tema e os grupos que pautam os movimentos negros em Mato Grosso”, destacou.

Na avaliação do deputado, as discussões vão servir de base para promover políticas públicas e projetos voltados ao tema. “É preciso desenvolver políticas sociais de enfrentamento que ferem os direitos humanos e afetam principalmente as mulheres negras. Meu objetivo é trabalhar essa frente”, concluiu João Batista.

Tereza de Benguela

O dia de 25 de julho é instituído no Brasil pela Lei n° 12.987 como o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra. Tereza de Benguela foi uma líder quilombola que viveu em Mato Grosso, durante o século XVIII. Foi esposa de José Piolho, que chefiava o Quilombo do Piolho ou do Quariterêre, entre o rio Guaporé (a atual fronteira entre Mato Grosso e Bolívia) e a atual cidade de Cuiabá.

Com a morte de José Piolho, Teresa se tornou a rainha do quilombo, e, sob sua liderança, a comunidade negra e indígena resistiu à escravidão por duas décadas, sobrevivendo até 1770, quando o quilombo foi destruído pelas forças de Luís Pinto de Sousa Coutinho e a população (79 negros e 30 índios), morta ou aprisionada.

Tereza de Benguela assim como outras heroínas negras, é um dos nomes esquecidos pela historiografia nacional. Nos últimos anos, o nome de Tereza tem sido utilizado no engajamento do movimento de mulheres negras e no resgate de documentos históricos, na busca de recontar a história nacional e multiplicar as narrativas que revelam a formação sociopolítica brasileira.

Serviço

Roda de Conversa

Data: 15/08/2019

Local: Assembleia Legislativa de Mato Grosso, auditório Milton Figueiredo.

Horário: 14 horas

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Cultura

“Casas Cuiabanas” são reconhecidas pelo Senado em entrega da Comenda Zilda Arns

Publicado

em

O procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, José Antônio Borges, foi agraciado nesta terça-feira, 10, com a Comenda Zilda Arns, condecoração do Senado destinada a reconhecer indivíduos e organizações que se destacam na área da proteção à criança e ao adolescente. A indicação de Borges foi feita pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT) que, em seu pronunciamento, destacou o trabalho do promotor pela viabilização, construção e funcionamento de casas lares em Cuiabá.

Conhecidas como “Casas Cuiabanas”, as casas lares acolhem crianças e adolescentes em situação de risco (ou seja: abandono, negligência, violência) e vulnerabilidade social.  Com uma filosofia moderna, as ‘Casas Cuiabanas’ começaram a ser implementadas em 2014, e apresentam uma nova abordagem aos antigos abrigos das crianças, ofertando atendimento humanizado e individualizado.

Segundo o senador Fagundes, esse projeto “mudou o cenário da proteção infanto-juvenil” em Cuiabá. Hoje, já são sete casas lares em funcionamento. “Uma experiência que vai ganhando notoriedade nacional e que deve ser consignada a outras capitais e cidades brasileiras” – ele frisou.

Em seu pronunciamento, o senador mato-grossense disse o Brasil ainda precisa avançar muito em ações e, sobretudo, na conscientização que cerca os interesses da primeira infância. Ele citou dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância, que fala das desigualdades e mostra que o país ostenta o maior número absoluto de adolescentes assassinados no mundo. “Sem dúvida, uma das mais trágicas violações de direitos que afetam meninos e meninas no Brasil. A cada dia, segundo a UNICEF, 31 crianças e adolescentes são assassinados no País, quase todos meninos, negros, moradores de favelas” – lamentou.

Em uma solenidade altamente concorrida, com a presença inclusive do tenista Gustavo Kuerten, cuja mãe, Alice, foi uma das homenageadas, Borges destacou o trabalho que vem sendo desenvolvido na Capital e em defesa do Estatuto da Criança e do Adolescente, o ECA, e lamentou o que chamou de ‘demonização das ONGs’ perante a opinião pública. Para ele, o reconhecimento é importante para que seja positivada a imagem de organizações que desenvolvem trabalhos de extrema importância social.

“Esse país não está pior do que poderia estar graças à sociedade civil organizada. Então, essa homenagem não é para mim. Essa homenagem é principalmente para o terceiro setor, que sempre foi companheiro do Ministério Público” — afirmou.

Além do procurador-geral de Justiça, receberam a comenda Alice Thümel Kuerten, Associação de Diabetes Infantil, Casa Azul Felipe Augusto, Catedral de Nossa Senhora da Conceição de Campina Grande, Divaldo Pereira Franco, Evanguelia Kotzias Atherino dos Santos, Hospital Pequeno Príncipe, Miguel Antônio Orlandi, Núcleo de Amparo ao Menor e Tânia Mara Garib.

 

Da assessoria

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana