conecte-se conosco


Cultura

Romeu e todo humor de Totó Bodega na Estação TJ

Publicado

em

Ele ficou conhecido com o personagem cuiabano Totó Bodega que surgiu no ano 2000 na comédia “Quebra Gaio “escrita e dirigida por J. Astrevo Aguiar e encenada por Nico e Lau, mas desde a década de 80 já atuava profissionalmente em peças de teatro e de 2003 para cá atua em pelo menos uma novela da Rede Globo, como “Deus Salve o Rei” a última que gravou. E também faz cinema com participações em sete curtas metragens e três longas e já foi premiado no Festival de Cinema de Mato Grosso como ator revelação.
Esse é um pedacinho do currículo do ator Romeu Benedicto, que falou nesta quarta-feira (08 de agosto) aos microfones da Estação da Arte, da rádio web Estação TJ, um pouco da sua carreira artística que começou aos 18 anos e já ganhou proporções nacionais. Mas, o que muitos dos seus fãs não sabem e ele contou hoje é que na infância ele já fazia pequenas encenações nas festas da família imitando Didi (Os Trapalhões), alguns personagens de Jerry Lewis, Oscarito e outros artistas do humor.
No microfone do Estação da Arte, comandado por Cristina Azevedo e Maíra Matos, Romeu trouxe Totó Bodega que arrancou algumas risadas ao contar uma de suas estórias. O ator revelou os projetos para o personagem que é inspirado em um morador ribeirinho que ele conheceu quando criança em suas férias no Coxipó do Ouro. Conforme lembrou, um trabalhador rural que teve de deixar o campo para viver na cidade (êxodo rural) e sem formação profissional se tornou “especialista em fazer todo tipo de bico”.
Aliás, “Especialista” é o nome do espetáculo de 60 minutos protagonizado pelo personagem cuiabano que em setembro entra em sua segunda temporada. Só que agora, destaca a sinopse, ele tá impossível, acaba de completar a maioridade, está mais faceiro do que nunca. Vai revelar segredos incontáveis, fazer confissões perigosas, além de interpretar músicas de sua autoria e paródias impagáveis.
Totó Bodega, que também representou Mato Grosso e Cuiabá em vídeo realizado pelo Ministério dos Esportes, apresentando a cidade-sede da Copa do Mundo – Cuiabá, lembrou ainda Romeu, tem todas as características do povo ribeirinho, “um povo simples e de um linguajar simples, que tem muito a oferecer sem pedir nada em troca e eu tenho muito orgulho e prazer de levar para onde eu for”.
Cuiabano, nascido na Avenida General Mello, no Centro, o ator traz ainda na carreira passagem pela Europa onde ficou por quatro meses entre Portugal e Espanha rodando um filme com o cineasta Amauri Tangará. O que, além de uma grande oportunidade, ele classificou como “doloroso” por conta de ter ficado tanto tempo longe da família e não pensa mais repetir. E próximo ao Dia dos Pais, ele contou que é pai de dois adolescentes, a Fernanda de 14, e o Heitor de 13 anos.
Fazem parte dos novos projetos do ator ainda o filme “Lupi” do cineasta Bruno Bini, o “Juri” um curta da Samantha Col Debela, e o espetáculo infantil “Caixa de Brinquedo” que prepara outubro, o mês das crianças.
Sílvia Devaux/Fotos: Otmar de Oliveira (F5)

Comentários Facebook

Cultura

Flauta Mágica e Flor Ribeirinha unidos no mesmo palco para um show nesta quarta-feira

Publicado

em

O show Flor & Flauta com os dois ícones da cultura de Mato Grosso, será realizado nesta quarta-feira, 12 de dezembro, na Musiva, ás 21h. Durante a apresentação, os grupos Flauta Mágica e Flor Ribeirinha vão se intercalando e interagindo na abertura e no encerramento. A direção musical será do maestro Gilberto Mendes e Edmilson Maciel.

  A fundadora e presidente do Flor Ribeirinha, Domingas Leonor da Silva, enaltece a união com o Flauta Mágica. Segundo ela,  será um marco na trajetória do grupo que há 25 anos vem se dedicando à preservação da cultura popular. Ela frisa que grupo está muito empenhado nesta parceria. “Sem dúvida, é uma oportunidade especial e gratificante,  unirmos forças para continuar firmes na nossa luta pela manutenção da cultura. Este show marcará o final de ano”, disse ela.

      Mato Grosso Dançando o Brasil, é o espetáculo que o grupo Flor Ribeirinha da comunidade São Gonçalo Beira Rio, apresentará no palco. Trata-se do  espetáculo vencedor do Festival Internacional de Arte e Cultura, realizado no ano passado na Turquia, quando o grupo se consagrou campeão, trazendo o troféu de ouro, que foi disputado com 26 países. Este ano o grupo esteve na Rússia, em intercâmbio, como parte do encerramento da Copa do Mundo, e também em turnê pela França.

  O Instituto Flauta Mágica, se destacou em recente turnê internacional com shows na Disney, em Orlando(EUA), quando  recebeu o troféu Disney Performing Arts pela performance da apresentação. O Flauta Mágica tem se apresentado na Europa e Estados Unidos com um repertório eclético que vai de “Trenzinho do Caipira” de Villa Lobos, passando por obras de Tom Jobim e canções nacionais e internacionais que marcaram os anos 70 e 80 e culmina com uma bela interpretação de Aquarela do Brasil de Ari Barroso, juntamente com o Flor Ribeirinha.

    Na abertura do show, o público já poderá conferir a parceria entre Flor e Flauta, uma vez que os dois grupos se interagem na canção “Celebração da Fé” do boi Garantido de Parintins. Os arranjos do maestro Gilberto Mendes para Coro misto e Orquestra de Flautas receberam apoio da guitarra de Sidnei Duarte, teclados de Igor Mariano, Bateria de Alex Teixeira e baixo de Nelson Pereira. “Essa junção, resultado de muitas horas de ensaios em preparação para os shows realizados na Disney em Orlando e em escolas públicas de Miami, atingiu um nível de entrosamento que chama a atenção pela leveza obtida com a fusão de timbres tão diversos”, informa o maestro do Flauta Mágica, Gilberto Mendes.

   O diretor artístico e coreógrafo do Flor Ribeirinha, Avinner Augusto, explica que o espetáculo Mato Grosso Dançando o Brasil é composto de vários ritmos, sendo o carro-chefe, o siriri, a dança típica que há mais de 200 anos reflete o multiculturismo e que traz o ritmo contagiante embalados pela viola de cocho, o mocho e o ganzá. Ele ressalta que o repertório inclui o boi bumbá, uma manifestação de Parintins, oriundo do Norte, a dança gaúcha com forte expressão cultural do Sul, o tradicional frevo do Nordeste e o samba da região Sudeste. “Vamos encenar as danças tradicionais brasileiras com várias nuances, personagens, ritmos e gestualidades. Será um espetáculo imperdível”, garante Avinner.

    Todos que assistirem, vão contribuir com a continuidade das ações de manutenção e difusão da arte e cultura mato-grossense pelo Brasil e o mundo.  O ingresso amigo (meia) custa R$ 30,00 mais um livro de literatura infantil. Os livros serão doados para o Natal Pantaneiro do projeto inclusão literária de Clovis de Matos. O ingresso (inteira) custa R$ 60,00, nos pontos de venda: Casa de Festas e Mexe o Doce.

 

 

Malu Sousa 

99982.6862

Comentários Facebook
Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana