conecte-se conosco


Política MT

Recomendação de Max Russi prevê práticas integrativas em rede pública de saúde

Publicado

em

A instituição de diretrizes para as práticas integrativas e complementares em saúde (PICS), no âmbito do Sistema Único Saúde (SUS) de Mato Grosso, foi recomendada pelo deputado Max Russi(PSB), através da  indicação nº 858/18. A iniciativa foi elogiada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), que assegurou já estar buscando medidas para a regulamentação.

“Esta Coordenadoria entende a legitimidade da presente solicitação, considerando os benefícios dessas práticas a população e os menores cursos para os serviços de saúde, e por isso, vêm desenvolvendo este trabalho junto aos parceiros municipais. Neste sentido, concordamos com a presente solicitação e informamos que está em andamento”, declarou a Coordenadoria de Promoção e Humanização da Saúde (COPHS).

As PICS são definidas como tratamentos que buscam estimular os mecanismos naturais de prevenção de doenças, promoção e recuperação da saúde por meio de tecnologias alternativas seguras. São diversas modalidades, dentre elas a acupuntura, homeopatia e uso de plantas medicinais.

De acordo com o teor da matéria, o campo contempla sistemas médicos complexos e recursos terapêuticos, os quais são também são denominados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A intenção é aumentar a quantidade de recursos, que podem ser utilizados pelos cidadãos, prevendo uma medicina cada vez mais humanizada.

Max Russi considera esse o primeiro passo para um verdadeiro avanço na promoção da Saúde no Estado. “São práticas de extrema importância que podem colaborar com o tratamento de diversas doenças. Precisamos estimular isso e cobrar para que logo aconteça”, avaliou.

O Ministério da Saúde institui, por meio da Portaria 971 GM/MS de 3 de maio de 2006, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS. Ela define responsabilidades institucionais para a implantação e implementação das PICS e orienta que estados instituam suas próprias normativas, trazendo para o SUS práticas que atendam as necessidades regionais.

Política MT

PSL quer Tião da Zaeli na disputa pela prefeitura de VG; veja vídeo

Publicado

em

O Partido Social Liberal (PSL), reuniu filiados, dirigentes estaduais na noite deste sábado (16), em Várzea Grande para discutir a formação do diretório municipal, que está desestruturado, com a prestação de contas partidária atrasada desde 2016, o partido pretende lançar candidatura majoritária em 2020 no município.

O Procurador-Geral do município, Thiago Coelho, membro do partido foi convidado para assumir a presidência, mas alegou motivos pessoais para não aceitar o convite.

Com discurso de oposição, alguns membros da nova diretoria, fizeram duras críticas a administração da prefeita Lucimar Campos (DEM), e ao seu grupo político.

Com a presença do ex-deputado federal, Victório Galli, pré-candidato a prefeito de  Cuiabá, os militantes aguardaram a presença da senadora Selma Arruda, do deputado Federal Barbudo e do ex-prefeito de Várzea Grande, Sebastião dos Reis, o Tião da Zaeli (ex-PSDB).

O nome de Tião foi referendado pela maioria dos presentes como provável candidato do partido, na disputa pela prefeitura de Várzea Grande, no próximo ano.

Denis Barreto, levantou a bandeira anticorrupção e disse que não filiará nenhum membro que tenha o nome envolvido em corrupção.

“Inclusive vai ser filtrado, cada um que quiser ser candidato, não basta querer entrar no partido, precisa ter a ficha limpa, todos devem passar pela filtragem”, declarou.

Barreto ainda disse que o partido precisa se organizar, para lançar um candidato a prefeito que não precise de coligação.

Entre os nomes citados estão da empresária Claudia Marajá, do empresário Flávio do frigorifico e o mais cotado pela maioria o ex-prefeito Tião da Zaeli.

O vice-presidente municipal do partido, em Cuiabá, Emídio de Souza, militante histórico da sigla em Mato Grosso, lembrou da desarticulação do partido no município e todas as dificuldades encontradas, nas últimas eleições. Souza convidou a militância a “vestir a camisa” e lutar pela reestruturação.

 

Já Galli, demonstrou insatisfação com os debates e avisou que tomará medidas para que a nova chapa montada não seja homologada, jogando um verdadeiro balde de água fria nos ânimos dos presentes na reunião.

Fonte: Elisângela Neponuceno-MT de Fato

 

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana