conecte-se conosco



Polícia

Polícia esclarece roubo contra motorista de aplicativo com apreensão de envolvidos

Publicado

em

O roubo ocorrido no final de semana, em que um motorista de aplicativo foi mantido refém, sendo trancado no porta-malas do veículo, foi esclarecido pela Polícia Civil, na segunda-feira (24.06), com a identificação de três envolvidos e apreensão em flagrante de dois deles pela participação no crime.

Os adolescentes, L.F.C., 17, e M.V.F.R., 16, foram detidos em ação ininterrupta da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG). Os menores foram flagrados com o aparelho celular da vítima e autuados pelo ato infracional de roubo majorado. O terceiro suspeito de participar do assalto (maior de idade) já foi identificado e continua procurado pela Polícia.

O assalto ocorreu na madrugada de domingo (23), quando a vítima, motorista de aplicativo, foi acionada para atender uma corrida no bairro Santa Isabel em Cuiabá, com destino ao bairro Jardim dos Estados em Várzea Grande. No ponto de partida, embarcaram quatro passageiros, sendo três homens e uma mulher com um bebê de colo.

Quando chegaram ao destino, um dos criminosos que estava no banco traseiro aplicou o golpe conhecido como “gravata” na vítima e anunciou o roubo. A vítima foi arrastada para fora do carro e colocada no porta-malas do veículo, onde foi mantida até o final da ação criminosa.

Assim que foram acionados do roubo, os investigadores da Derf-VG iniciaram o trabalho investigativo, conseguindo identificar os três envolvidos o crime, sendo dois deles menores de idade. Com base nos levantamentos, os policiais realizaram diligências ininterruptas que resultaram na apreensão em flagrante dos dois adolescentes infratores.Ao perceber a chegada dos policiais, o terceiro suspeito embrenhou em uma região de mata e conseguiu fugir.

O aparelho celular da vítima foi encontrado em poder do menor M.V.F.R., que questionado afirmou que eles venderiam o telefone e dividir o lucro por três. Na delegacia, os menores confessaram a prática do roubo junto ao comparsa maior de idade, e disseram que trancaram a vítima no porta-malas para facilitar o roubo.

Segundo a delegada titular da Derf-VG, Elaine Fernandes da Silva, as investigações continuam com objetivo de prender o terceiro envolvido, uma vez que ele seria o responsável por recrutar adolescentes para a prática de assaltos. “O grupo pode estar envolvido na prática de outros roubos que estão aterrorizando a população, sendo investigados como autores também do roubo a um posto de combustível”, disse a delegada.

Redação

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Polícia

Operação investiga garimpo ilegal de ouro em fazenda e prende três pessoas por crimes ambientais

Publicado

em

Operação Aurum, deflagrada pela Polícia Judiciária Civil de Colíder nesta terça-feira (19.11), com apoio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, prendeu três pessoas suspeitas da prática de crimes ambientais, como a extração e garimpagem ilegal de minério e usurpação de matéria-prima da União. A propriedade foi autuada pela Sema com multa no valor de R$ 1,100 milhão por crime ambiental.

Diligências realizadas por equipe da Delegacia Municipal de Colíder, coordenada pelo delegado Ruy Guilherme Peral, constataram indícios de crime ambiental em uma fazenda da região, onde era praticada a extração ilegal de ouro. No local foi apreendida uma pá escavadeira avaliada em R$ 160 mil.

Três pessoas, sendo um advogado e dois trabalhadores que operavam o equipamento na propriedade rural, foram autuadas em flagrante pelos crimes ambientais. O advogado T.V.R. se identificou aos policiais como responsável pela propriedade e pelas atividades de extração aurífera.

Os três homens foram conduzidos à Delegacia de Polícia de Colíder para depoimentos e lavratura do flagrante. De acordo com o delegado Ruy Guilherme, a escavadeira ficou sob responsabilidade da Secretaria de Obras e Infraestrutura do município, que está como fiel depositária do equipamento.

Os três autuados continuam presos, uma vez que os delitos imputados ultrapassam cinco anos de prisão. Os flagrantes foram comunicados à Justiça Federal da região, a quem cabe decidir pela manutenção das prisões.

“As investigações continuam para coletar novas evidências dos crimes. Os proprietários da fazenda não se encontravam no local, mas serão autuados pela Polícia Civil nas práticas criminosas de danos ambientais”, explicou o delegado.

Em setembro deste ano, a Polícia esteve na mesma propriedade para apurar a atuação irregular de garimpo na fazenda, contudo, não foram encontrados indícios dos crimes ambientais que possivelmente teriam sido ocultados pelo responsável da área. “Continuamos atuando para combater a prática de crimes que trazem danos ambientais expressivos à região”, destacou o delgado Ruy Guilherme Peral.

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana