conecte-se conosco


Polícia

Polícia divulga foto de estelionatário aplica golpe do envelope vazio na compra de veículos

Publicado

em

 

A Polícia Judiciária Civil, através da 2ª Delegacia de Polícia de Várzea Grande, alerta para ação de um homem que aplica o golpe do envelope vazio na compra de veículos anunciados a venda pela Internet. O suspeito, ainda não identificado pela Polícia, usa documento falso em nome de terceiros para aplicar os golpes, fazendo pelo menos duas vítimas, o vendedor do veículo e a pessoa que teve o nome usado.

As investigações iniciaram quando uma vítima registrou o boletim de ocorrência na sexta-feira, 05 de outubro. Segundo as informações, a vítima anunciou o seu veículo Chevrolet Classic, no site OLX, e o golpista entrou em contato demonstrando interesse. Após negociação, o estelionatário, que se apresentou como “Bruno Rafael”, disse que fez um depósito no valor de R$ 21 mil para vítima, apresentando o comprovante de depósito a ser compensado.

A vítima, de 47 anos, contou que o golpista utilizou de boa conversa para ganhar a sua confiança, fazendo com que ela fizesse a transferência do veículo em cartório, antes mesmo que o dinheiro entrasse na conta. Somente no dia seguinte, a vítima percebeu que o valor estava bloqueado e que depósito foi realizado com envelope vazio.

O veículo produto de estelionato foi localizado em uma garagem em Rondonópolis. Na ocasião, a vítima foi até a cidade e ligou para a Polícia Militar apresentando o boletim de ocorrência, porém em conversa no estabelecimento foi informado que o carro estava com a documentação legalizada.

Com o veículo em seu nome, o golpista vendeu o carro para a garagem por valor menor que o de mercado, recebendo R$ 4.500 em dinheiro e mais R$ 11 mil que seria depositado em uma conta corrente em nome de um terceiro. O dono da conta em que o valor foi depositado já foi identificado e intimado para comparecer a 2ª Delegacia de Polícia de Várzea Grande. A vítima que teve o nome usado pelo golpista é moradora de Sinop e também foi ouvida.

O delegado, Romildo Souza Grota Junior, explica em casos de estelionato acontece um problema técnico em que veículo não entra na restrição de roubo e furto para caracterizar a receptação.

“Se o carro tivesse sido roubado ou furtado, ficaria fácil constatar a origem ilícita. Nos casos de estelionato, o que pode ser feito é um ofício de restrição administrativa para que o veículo não seja transferido para outra pessoa. Porém nesse caso a transferência também não poderia ser feita, uma vez que o suposto proprietário carro também é vítima, que teve o nome ilicitamente usado na negociação”, explica o delegado.

Romildo acredita que com a divulgação da foto do suspeito, novas vítimas podem aparecer e alerta as pessoas que pretendem fazer vendas pela Internet, em especial de veículos, que tenham cautela antes de fechar o negócio. “Antes de finalizar a venda e passar o bem para o nome do comprador, se possível, faça um contrato, confira documentos pessoais e confirme o recebimento do valor em conta bancária”, disse.

O delegado faz outro alerta para terceiros, de boa fé, que emprestam conta bancária para recebimento de valores sem origem comprovada. “As pessoas que mesmo sem saber emprestam contas bancárias para aquirir quantias de origem ilícita, podem responder por estelionato, formação de quadrilha, uso de documento falso e dissimulação/ocultação de valores, previsto na Lei de Lavagem de dinheiro”, explica.

Assessoria | PJC-MT

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Assaltante praticou mais de 30 roubos a transeuntes em Várzea Grande

Publicado

em

Preso na tarde de quarta-feira (17.10), pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG), Lucas Roberto Oliveira dos Santos, 18, confessou a prática de mais de 30 roubos, em diferentes bairros do município. Diversas vítimas compareceram a delegacia para identificar o suspeito, que usava o uniforme da empresa em que trabalhava para disfarçar a intenção de roubar. Ele tinha como principal alvo vítimas mulheres.

A atuação do criminoso já era investigada pela equipe da Derf-VG. Foram dias de trabalho investigativo para chegar a identificação do suspeito, uma vez que ele praticava os crimes, após o horário de trabalho e em diversos bairros de Várzea Grande.

Após a prisão do suspeito, várias vítimas compareceram a delegacia e reconheceram Lucas Roberto como autor de roubos a mão armada em via pública. Interrogado pelo delegado Guilherme de Carvalho Bertoli, o suspeito confessou os crimes e disse que atuou em mais de 30 roubos a transeuntes na cidade.

Com a comunicação da prisão em flagrante ao juiz, foi protocolado pedido de conversão da prisão em flagrante do suspeito em prisão preventiva.

Prisão em flagrante

A prisão do suspeito aconteceu após uma vítima de tentativa de roubo procurar a Derf-VG para registrar a ocorrência. Segundo a comunicante, o criminoso a abordou em via pública, exigindo que ela entregasse o aparelho celular e demais pertences. O roubo só não se consumou porque a vítima reagiu, fazendo com que o acusado fugisse.

Ouvida pelos investigadores, a vítima informou que o autor era moreno, alto, e estava com uma camiseta azul, uniforme de uma oficina mecânica. As informações coincidiram com a outra investigação em andamento na delegacia, que apontavam Lucas Roberto como um criminoso que agia da mesma maneira e que possuía características pessoais idênticas as repassadas pela vítima

 

 

Assessoria | PJC-MT

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana