conecte-se conosco


Polícia

Polícia Civil de Comodoro prende associação criminosa da Capital responsável por roubos de cargas na região

Publicado

em

Cinco pessoas foram presas na terça-feira (04) suspeitas de integrarem uma associação criminosa que praticava roubos de cargas na região de Comodoro. O grupo é residente na cidade de Cuiabá e se deslocava para o Interior do Estado com o objetivo de cometer os assaltos.

As investigações apontaram que duas mulheres, Gresiane Teixeira e Michele dos Santos, eram as responsáveis por abordar os motoristas de caminhão, solicitando carona ou oferecendo programas sexuais. Elas agiam em conjunto com os comparsas identificados como Rafael Pereira, João Jose da Costa, e Saturnino da Silva, conhecido como “Maranhão”.

O trabalho de investigação foi coordenado pelo delegado Gilson Silveira do Carmo, mobiliando equipes de Comodoro e da regional de Pontes e Lacerda, com apoio da Polícia Militar de Comodoro.

As investigações tiveram início após um caminhoneiro de 53 anos, acompanhado da Polícia Rodoviária Federal (PRF), noticiar na Delegacia o roubo de seu caminhão Mercedes/Benz, carregado com refrigerantes na rodovia 174, na madrugada de terça-feira (04).

O motorista foi mantido refém, em área de matagal, à beira da BR 174, no trecho que liga a cidade de Nova Lacerda e Comodoro. Uma viatura da PRF, que fazia uma abordagem de rotina nas proximidades, fez com que o criminoso que vigiava a vítima corresse para dentro da mata (com receio de abordagem). Nesse momento a vítima fugiu e pediu auxílio aos policiais, por volta das 05h30.

Durante todo o dia diversas diligências foram empreendidas objetivando a recuperação do caminhão e a prisão dos envolvidos. O veículo e a carga de refrigerantes foram recuperados.

As investigações prosseguem pela Delegacia de Polícia de Comodoro para identificar a atuação de um comparsa, residente no município e já identificado, que teria prestado apoio aos demais criminosos vindos da Capital, e também apurar se o grupo agiu em outros roubos similares cometidos na região.

O delegado Gilson Siveira do Carmo explica que todos os detidos foram autuados em flagrante pelos crimes de roubo majorado por emprego de arma de fogo, concurso de agentes e restrição da liberdade da vítima. “É importante salientar que são pessoas acostumadas a práticas de crimes, alguns com passagens por roubo. O suspeito Rafael, por exemplo, tinha mandado de prisão em aberto, expedido recentemente (em 09/11) da Terceira Vara Criminal de Cuiabá.

Os presos serão apresentados em audiência de custódia, ainda não marcada, ficando à disposição do Judiciário.

Assessoria | PJC-MT

Comentários Facebook

Polícia

Everton, do São Paulo, é acusado de agredir garota; jogador nega, e pai registra B.O. por invasão

Publicado

em

Rubens Chiri / saopaulofc.net

O atacante Everton, do São Paulo, é acusado de agredir uma jovem de 21 anos na sua cidade natal, Nortelândia, a cerca de 230 km de Cuiabá. A garota, Joanna Darc Campos Dourado, afirmou, em Boletim de Ocorrência e em post no Facebook (já apagado), ter recebido um “murro” do atleta. Everton nega a agressão. O pai dele, Evandro Campos, também registrou B.O., mas por invasão de domicílio. A Polícia Civil promete apurar.

O caso ocorreu na madrugada desta terça-feira, durante a festa de aniversário de 30 anos de Everton, na casa de um amigo, em Nortelândia. Joanna teria entrado na festa com dois amigos, sem serem convidados.

Ao serem expulsos do local, Joanna alega ter sido agredida por Everton, pelo irmão dele, Ebert, suas respectivas esposas e mais um segurança. O jogador nega veementemente a acusação.

– O jogador Everton Cardoso, do São Paulo, nega qualquer incidente envolvendo o seu nome. O que houve foi uma invasão da casa onde ele estava com a família na cidade de Nortelândia, no Mato Grosso, e os invasores foram convidados a se retirar pelo segurança do jogador. O pai do atleta, Evandro Campos, registrou essa invasão na polícia local. O caso está na justiça e o jogador e sua família esperam que os invasores sejam punidos – diz nota oficial enviada à imprensa pela assessoria de Everton.

A acusação
Joana fez um post no Facebook, dizendo ter sido agredida e exibindo um ferimento na boca. Horas depois, porém, apagou o post, por aconselhamento de seu advogado, Erick Rafael.

Garota de 21 anos diz ter sido agredida por Everton, do São Paulo; post já foi apagado por ela — Foto: reprodução
Garota de 21 anos diz ter sido agredida por Everton, do São Paulo; post já foi apagado por ela — Foto: reprodução

No Boletim de Ocorrência, Joanna diz ter ido de madrugada até a casa onde Everton realizava a sua festa de aniversário. Por não ter sido convidada, acabou sendo expulsa de casa pela mãe do jogador. Na saída, Joanna atirou cerveja na piscina e seguiu até a casa de uma vizinha da família, chamada Lurdes Casado, onde, segundo Joanna, a esposa de Everton e a sua cunhada foram tirar satisfação com ela.

Joanna, então, diz ter ido embora na sequência. Já em casa, ainda de acordo com o que registrou no BO, Joanna diz ter sido agredida por Everton, pelo irmão do atacante, Ebert, suas esposas e um segurança da família.

Pessoas que estavam na festa e foram ouvidas pela reportagem do GloboEsporte.com negam essa versão e dizem que Everton não saiu de casa em nenhum momento.

– Não houve agressão nenhuma. Ela e os amigos invadiram a casa do Everton e foram expulsos quando descobriram eles lá. E só foi isso. Não teve agressão nenhuma. Everton ficou vendo tudo de longe. Nem chegou perto dela – disse uma testemunha, que pede para não ser identificada.

Os relatos nos dois Boletins de Ocorrência
Joanna Darc foi a primeira a registrar B.O., por agressão. Ela citou Everton dentre os agressores:

– Joanna Darc informou que foram atá a casa do jogador Everton onde eles estão hospedados para tirar uma foto. Nesse momento a Nilda, mãe do jogador, perguntou quem tinha convidado vocês? A Joanna ficou brava e jogou a cerveja na piscina da casa. Se retirou e foi para a casa da vizinha, da professora Lurdes Casado. A esposa do Everton e a nora da Nilda foram até a casa da Lurdes, e perguntou por quê você está chamando a minha sogra de puta? A Joana disse você está louca. Eu não disse nada. Nesse momento foi embora para a sua casa. Logo em seguida o segurança, o Everton, Eberton e a sua esposa começaram a agredir a vítima (sic) – diz o B.O. feito por Joanna.

Em outro Boletim de Ocorrência, o pai de Everton, Evandro, dá a versão da família do jogador:

– Compareceu nesta delegacia de polícia o senhor Evandro Campos da Silva, ora vítima acima qualificada, comunicando que: nesta madrugada estavam na residência do senhor Gilmar Gomes, onde estão hospedados, quando por volta das 2h desta data, chegaram na residência duas mulheres e um rapaz, adentram sem serem convidados. E começaram a tumultuar o ambiente. Nesse momento, o segurança Marcelo Soares Silva, que estava no local, os convidou para que se retirassem do local. O rapaz de cabelos pintados de loiro disse que eles não iriam se retirar. E começaram a discutir com a mãe e a esposa do jogador Everton. O segurança interveio e os colocou para fora da residência. Após uma hora depois voltaram novamente para querer brigar com o segurança, mas não adentraram mais na residência. Diante do ocorrido, registra-se para as devidas providências – diz o Boletim de Ocorrência, registrado pelo pai de Everton.

A Polícia Civil confirmou os dois Boletins de Ocorrência e que vai apurar o caso.

Fonte:Por Olímpio Vasconcelos Cuiabá – GloboEsporte.com

Comentários Facebook
Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana