conecte-se conosco



Polícia

Pecuarista é condenado a 22 anos de prisão por homicídio qualificado

Publicado

em

O pecuarista Marcelo Lorenzzoni da Silva, 45 anos, foi condenado a 22 anos de prisão por posse de arma de fogo em situação irregular e homicídio duplamente qualificado praticado contra o também pecuarista, Weivel Deliberto, na comarca de Alta Floresta. Ao final da sessão do julgamento, realizada nesta quarta-feira (18), o réu, que até então não havia sido preso, foi encaminhado diretamente para cadeia pública de Alta Floresta. A atuação do Ministério Público no Tribunal do Júri ficou a cargo da promotora de Justiça Carina Sfredo Dalmolin.

Segundo ela, os jurados acolheram a tese defendida pela Promotoria de Justiça  de que o crime foi cometido por motivo fútil e com a utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima. A sentença foi proferida pelo juiz de Direito Roger Augusto Bim Donega.

Consta na denúncia, que o crime ocorreu no dia 22 de julho de 2012, na zona rural de Carlinda, na propriedade da vítima. O réu se dirigiu ao local e lá iniciaram uma discussão ocasionada pelo fato de seu gado ter de forma reiterada invadido a fazenda da vítima. Com ânimos bastantes exaltados, os dois discutiram e quando Weivel Deliberto virou-se de costas em direção ao curral, o réu pegou uma espingarda que estava em seu veículo e disparou  tiro certeiro na cabeça do pecuarista, que morreu na hora.

“Extrai-se dos autos a futilidade da motivação para homicídio, pois a vítima sempre cobrou uma situação de direito, qual seja, a feitura de uma cerca para que o gado do acusado não adentrasse em sua propriedade, conforme já haviam acordado, sendo que, após sucessivas invasões em sua propriedade, ainda assim, esta pequena discórdia serviu como móvel para o crime contra a vida”, diz um trecho da denúncia do Ministério Público.

O réu, conforme a promotora de Justiça, fugiu do local do crime. Durante diligências em sua residência, a polícia encontrou arma de fogo, de uso permitido, mas em situação irregular.

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Polícia

Sema apreende 108 kg de peixes e apetrechos proibidos

Publicado

em

A equipe de fiscalização da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) apreendeu 108 quilos de pescado e diversos apetrechos de pesca predatória nos municípios de Porto Alegre do Norte e Confresa. A Operação foi realizada na quinta-feira (17.10) pela equipe de Fiscalização de Fauna da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) e pela Diretoria de Unidade Descentralizada de Confresa, em parceria com a Policia Militar.

As espécies apreendidas são pirarucu, tucunaré, matrinxã, piranha, corvina, piau e tabatinga. Além dos peixes foram recolhidas três redes de captura de pirarucu, oito redes de pesca de diversos tamanhos e diversas malhas, uma tarrafa, cinco espinheis, 60 boias e 02 freezers.

Os fiscais aplicaram multas no valor total de R$ 6,1 mil. Os peixes foram doados a instituições filantrópicas de Porto Alegre do Norte e de Confresa.

Piracema

O período de defeso da piracema no Estado de Mato Grosso iniciou no dia 1º de outubro e segue até dia 31 de janeiro de 2020. A proibição à pesca, tanto amadora como profissional, abrange os rios das Bacias Hidrográficas do Paraguai, Amazonas e Araguaia-Tocantins.

Neste período é permitida apena a pesca de subsistência, desembarcada, que é aquela praticada artesanalmente por populações ribeirinhas ou tradicionais para garantir a alimentação familiar, sem fins comerciais.

Para os ribeirinhos é permitida a cota diária de três quilos e um exemplar de qualquer peso por pescador, respeitando os tamanhos mínimos de captura, estabelecidos pela legislação para cada espécie. O transporte e comercialização proveniente da pesca de subsistência também fica proibido.

Denúncias

O cidadão pode denunciar a pesca depredatória e outros crimes ambientais à Ouvidoria Setorial da Sema: 0800-65-3838 ou via WhatsApp no (65) 99281-4144. Outros telefones para informações e denúncias: (65) 3613-7394 (Setor Pesca), nas unidades regionais da Sema ou aplicativo MT Cidadão.

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana