conecte-se conosco


Várzea Grande

Pais dormem em fila para conseguir vaga em creche de VG

Publicado

em

Entra ano sai ano e a cena se repete, pais acampam em frente a unidades escolares de Várzea Grande para garantir uma vaga para seus filhos em creches do município. O início das matrículas, contudo, está marcada para a próxima segunda-feira (7), mas no bairro Maringá I, por exemplo já tem gente dormindo em frente ao Centro Municipal de Educação Infantil há dois dias.

No bairro Jardim Glória não é diferente e o cenário é o mesmo. Cadeiras, colchões, cobertas e travesseiros espalhados pelas salas do local e os familiares se revezam para dormir até o dia da matrícula. As refeições são feitas no próprio local para não correr o risco de perder o lugar.

 

Outro lado

O Secretário Municipal de Educação, Silvio Fidelis disse em entrevista ao MT de Fato, que hoje a rede municipal conta com 5.604 vagas, a matrículas para novos alunos será realizada de 07 a 11, e em algumas unidades a procura é maior.

Fidelis explicou que o número de vagas aumentará consideravelmente com a conclusão das obras que estão em execução.

 

Segundo Silvio, a pasta segue sendo um setor prioritário da atual gestão e começa o ano com várias obras em andamento.

Para 2019 estão previstas licitações (60), entregas de ordens de serviços e conclusões de novas unidades, especialmente de creches, chamadas de Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI). São ao todo 85 ações compreendendo as três vertentes de trabalho. No Planejamento Estratégico da pasta chama à atenção o ‘pacote’ de 23 obras em execução, 2 aguardando ordem de serviço, e 60 em processo de licitação. Das 23 obras em andamento 15 são de novas creches, o que amplia em mais de 5 mil novas vagas a oferta de matrículas na Educação Infantil local até o início do ano letivo de 2020.

Somente na Educação Infantil, por meio dos novos CMEI’s, R$ 30, 8 milhões estão sendo aplicados entre recursos do governo Federal com contrapartida do Município.

O secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Sílvio Fidelis, disse que o município de Várzea Grande vem ano a ano, elevando o seu Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), e isso se deve as inúmeras melhorias que o setor vem recebendo nos últimos quatro anos. A avaliação não poderia ser melhor, destaca o gestor. “Com a integração e melhoria do ensino, desde a infância, acredita-se que o estudante da rede pública municipal em pouco tempo estará muito mais preparado”, avaliou.

No que concerne às obras de construção e a reforma de unidades escolares, bem como o total de alunos atendidos, o secretário relata que desde 2015 quando a prefeita Lucimar Sacre de Campos assumiu a gestão municipal, foram implementadas diversas obras na área da Educação que de fato fizeram a diferença e impactaram positivamente inclusive na cultura e no esporte. Esse último tem como grande obra para 2019, a reforma do Ginásio Fiotão, em plena execução e orçada em cerca de R$ 3 milhões.

“Essas melhorias apenas comprovam a responsabilidade com que esta gestão está tendo com a Educação pública municipal e em melhorar a qualidade do ensino, sem esquecer do reconhecimento e respeito a todos os servidores que compõem a pasta”, comemorou Silvio Fidelis.

Para 2019, como observa o secretário, a Educação receberá a maior fatia dos recursos municipais. Conforme a Lei Orçamentária Anual (LOA) e a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) , serão R$ R$ 215,09 milhões no atual exercício fiscal.

O ano passado fechou com a execução de 22 obras, entre elas, reformas e ampliações e ainda construção de quadras cobertas e de mini estádios, bem como serviços de manutenção que levaram a novas caixas d´águas, fossas e cozinhas. O ano de 2018 ficou marcado como o de maior resultado na Educação, sendo o ano em que projetos e obras foram concluídos, desde que a prefeita Lucimar Sacre de Campos assumiu a gestão municipal, em maio de 2015.

Ainda como faz questão de ressaltar Sílvio Fidelis, 2018 foi um ano de inúmeros resultados e 2019 será ainda mais histórico para a educação pública municipal. “Conseguimos ao longo desse ano investir de forma considerável na capacitação dos profissionais, bem como investimentos feitos nos espaços físicos das unidades que necessitaram de infraestrutura, compra de equipamentos modernos e o mais importante o avanço na qualidade do ensino público”, disse.

As obras mais aguardadas pela população estão sendo edificadas nos bairros Vila Arthur, Maringá I, Milton Figueiredo, Novo Mato Grosso, Nova Ipê, Cidade de Deus, Novo Mundo, Residencial Gilson de Barros, Alameda Júlio Müller, Residencial Ataíde Ferreira, São Matheus, Mapim e no Residencial Aurília Curvo. Essas unidades educacionais serão destinadas ao atendimento de crianças de 0 até 4 anos de idade.

Fonte: Redação com informações da Assessoria

 

 

 

 

Comentários Facebook

Várzea Grande

Assistência Social realizou 170 mil atendimentos no ano de 2018

Publicado

em

A secretaria de Assistência Social de Várzea Grande encerrou o ano de 2018 contabilizando mais de 170 mil atendimentos socioassistenciais. Essas ações atingiram os níveis de preservação de direitos e de proteção especial, chegando a jovens, mulheres, idosos e crianças em estado de vulnerabilidade. Mais que assegurar direitos, os trabalhos desenvolvidos ao longo do ano possibilitaram empoderamento, crescimento e resgate de autoestima a todas as pessoas beneficiadas, como pontua a secretária de Assistência Social , Flávia Lannes.

Serviços básicos como inclusão no Cadastro Único, validação e inserção de famílias no Bolsa Família e a busca ativa para concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC) – destinado a idosos que não recebem aposentadoria e ou às famílias carentes com membros deficientes – são rotina na Pasta. Somente no ano passado, mais de 13 mil famílias foram incluídas no Cadastro Único e mais de 9.313 fecharam 2018 beneficiadas pelo BPC.

“Esse atendimento é nossa rotina, fazemos buscas ativas, participamos de mutirões para ampliar o acesso aos programas federais. Mas o que mais no motiva e nos mostra que estamos no caminho certo, caminho da promoção social, pessoal e coletiva de pessoas carentes, são os resultados que aferimos na ponta, a partir da oferta dos programas municipais, como Juventude Ativa, Amigas Empreendedoras,Laços Maternos, Caderno 2 e os serviços de fortalecimento de vínculos, que resgatam valores, famílias e motivam as pessoas. Modificam a realidade”, avaliou a secretária.

Como explicou a secretária, mais de 80 grupos estão formados no Município para atender públicos específicos como jovens, crianças, gestantes e mulheres. “Temos hoje em Várzea Grande mais que metas superadas, temos famílias protegidas e amparadas. Esse é o resultado que a atual gestão busca. Os programas municipais têm como objetivo impactar positivamente, transformando realidades”.

Entre os mais procurados estão o ‘Amigas Empreendedoras’, que em 2018, ofertou cursos semi-profissionalizantes a 3.123 mulheres de bairros localizados em todas as regiões da cidade. Outras 1.566 crianças, adolescentes e idosos foram acolhidos pelo ‘Juventude Ativa’, ‘Caderno 2’ e pelos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV).

O ‘Juventude Ativa’ completou em 2018 a sua 7ª edição contabilizando 3.500 mil jovens assistidos. Por meio do projeto há a promoção constante da qualidade de vida deste segmento que, normalmente, encontra-se em algum tipo de situação de vulnerabilidade social. O resgate vem da participação ativa em apresentações culturais e artísticas, das seis oficinas – grafitagem, pintura em tela, música, esporte, teatro e dança -.

O Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos é um serviço da Proteção Social Básica do SUAS que é ofertado de forma complementar ao trabalho social com famílias realizado por meio do Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (PAIF) e do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado às Famílias e Indivíduos (PAEFI).

Desde a implantação do ‘Amigas Empreendedoras’ em 2015, cerca de 10 mil mulheres receberam certificação de formação em habilidades em diversas áreas, com destaque aos cursos de cabeleireiro, artesanato, bordado em chinelo, crochê, oficina de artes, bordados diversos, culinária, corte costura e pintura em tecido, além de capacitação de empreendedorismo e plano de negócios.

Na outra ponta do atendimento, saindo da rede de proteção básica, a secretária Flávia Omar destacou os atendimentos da proteção especial, quando há a violação dos direitos. “Aqui, entram atendimentos realizados nas casas de amparo às mulheres e às crianças, que em 2018 totalizaram 116, e os atendimentos nas casas de acolhimento à crianças e à adolescentes, somando outros 206”.

Fora isso, há uma preocupação constante em relação aos moradores de ruas, acolhidos por meio do Centro POP, via Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). O Centro POP atendeu mais de 1.100 pessoas de forma espontânea, ou seja, por livre demanda de quem está em situação de risco.  Outras 418 pessoas, todas adolescentes, passaram para os serviços de proteção social especial em cumprimento de medidas.

Por Marianna Peres

Fonte: Secom/VG

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana