conecte-se conosco


Cuiabá

Morre o radialista Ubiratã Braga, o Rai Bira

Publicado

em

A imprensa mato-grossense está de luto. Faleceu Ubiratã Braga, o Rai Bira. O corpo do jornalista e radialista foi encontrado no sofá da sala de sua residência no início da noite desta terça-feira, por um de seus afilhados, que foi chamado por vizinhos que estranharam ver a casa fechada e ninguém atender.

Em áudio enviado ao jornalista Ademar Andreolla, um vizinho de Rai Bira diz que o jornalista não acordou na manhã desta terça-feira. “O Rai não acordou hoje. Um vizinho estranhou a porta fechada e chamou, chamou e ele não atendeu. Então ligou para um de seus afilhados avisando que poderia estar havendo algum problema. O afilhado dele chegou no início da noite, entrou na casa e o encontrou morto no sofá da sala”, disse no áudio.

Ubiratã Braga, ou simplesmente Rai Bira trabalhou em várias emissoras de rádio da Capital e na TV Vila Real, onde lançou o nome “Cadeia Neles” da emissora, tendo posteriormente registrado o nome do programa como de sua autoria e conquistado os direitos autorais. Trabalhou muito tempo também na Assembleia Legislativa de Mato Grosso como repórter de rádio e atualmente estava trabalhando com Lino Rossi, no Chamada Geral.

Uma das filhas de Bira ao ser informada de sua morte, disse acreditar que ele tenha sofrido um infarto fulminante. Não se sabe se a morte ocorreu ainda na noite de segunda-feira, quando chegou em sua residência ou nas primeiras horas desta terça-feira.

Uma unidade do Instituto Médico Legal – IML – esteve na residência do jornalista e radialista para levar o corpo ao instituto onde vai passar por uma autópsia para se saber o horário de sua morte, bem como o que motivou o falecimento.

A família vai aguardar a liberação do corpo para definir o local e o início do horário do velório nesta quarta-feira e onde Rai Bira será enterrado.

Fonte: 24 Horas NEWS

Cuiabá

Gestão sustentável delineia o caminho do desenvolvimento para Cuiabá

Publicado

em

A Prefeitura de Cuiabá tem trabalhado em práticas que coloquem a Capital como um exemplo a ser seguido

Sustentabilidade tem sido palavra-chave em Cuiabá. Em 2017, a Prefeitura de Cuiabá começou a dar passos dentro desse campo que, atualmente, é tendência nas regiões mais desenvolvidas do mundo. Desde então, a gestão tem trabalhado para que cada uma das ações planejadas ganhem efetividade na prática e coloquem a capital mato-grossense como um exemplo a ser seguido.

As medidas são trabalhadas em diferentes esferas, abrangendo atitudes simples no ambiente interno dos órgãos municipais, até as consideradas de macro dimensão nas obras executadas pela cidade. Pensando em um trabalho que perdure em longo prazo, o prefeito Emanuel Pinheiro sancionou, em fevereiro deste ano, a lei de criação do Plano de Desenvolvimento Sustentável, denominado Programa Cuiabá +300.

O documento fortalece a criação de novas políticas públicas voltadas para a preservação ambiente e ratifica aquelas que já vinham sendo realizadas. Compõem esse grupo, por exemplo, o estímulo às práticas sustentáveis entre os servidores, por meio da adesão da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P), a melhoria nos serviços de zeladoria da cidade e a adoção de um conceito de obras que valoriza a execução de projetos ambientalmente corretos.

“O conceito de sustentabilidade é uma responsabilidade que nenhuma gestão pode fugir. E é exatamente isso que estamos desde o início implantando na Prefeitura de Cuiabá. A Estação Alencastro é um grande exemplo. Operando de maneira autossustentável, com energia solar, a estrutura segue padrões internacionais, garantindo conforto aos passageiros e a preservação do meio ambiente. O reaproveitamento de contêineres para transformação em abrigos foi outra medida acertada que, inclusive, despertou interesse de outras grandes cidades brasileiras”, conta o prefeito Emanuel Pinheiro.

Reconhecimento

O esforço contínuo tem recebido reconhecimento nacional e faz com que, por mais de uma vez, Cuiabá apresente resultados positivos em pesquisas dessa natureza. Já em 2017, a cidade apareceu entre as que obtiveram avanços significativos nos índices de sustentabilidade de limpeza urbana. Na época, Cuiabá saltou de uma avaliação baixa para o nível médio, no estudo desenvolvido pelo Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana no Estado de São Paulo (SELUR) e a empresa PwC Brasil.

“É um trabalho que depende de todos nós. Depende do poder público e também da participação efetiva da população. Estamos procurando fazer a nossa parte. Desenvolvemos programas de arborização, estamos criando novos parques e melhorando, gradativamente, o trabalho de limpeza da cidade. Na nova licitação da coleta de lixo, por exemplo, colocamos a necessidade da implantação coleta fluvial, coleta seletiva, instalação de contêineres subterrâneos”, completou Pinheiro.

Posteriormente, a Capital ainda ganhou 35 posições no Ranking Connected Smart Cities, saltando da 79ª posição para a 44ª. O estudo, elaborado pela empresa especializada em inteligência de mercado e geoprocessamento, Urban Systems, dentre outros indicadores, avaliou as ações de Prefeitura para as áreas de energia, tecnologia e inovação, vias pavimentadas, arborização e cobertura do serviço de coleta de resíduos.

No fim de 2018, Cuiabá foi inserida no grupo de cidades brasileiras que receberão uma certificação do Ministério do Meio Ambiente (MMA) pelo desenvolvimento de medias sustentáveis. O certificado é ofertado aos 100 municípios que têm se destacado no quesito gestão ambiental e entre as regras exigidas para o recebimento estão: ações de educação ambiental, adoção de compras públicas sustentáveis e existência de planos municipais de saneamento, de resíduos sólidos e de biodiversidade.

Fonte: Assessoria- BRUNO VICENTE

Foto: Luiz Alves

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana