conecte-se conosco



Artigos

Gratidão, Prosperidade e Abundância

Publicado

em

Se tem uma coisa que todo mundo deseja e busca é a prosperidade, mas você já se perguntou o que é prosperidade pra você? Uma poupança gorda? Mesa farta? Carro novo? Viagens? Casa dos sonhos? Salário alto? Relacionamentos?
Observando bem, vemos que muitas pessoas têm pelo menos parte de tudo isso e mesmo assim vivem numa constante insatisfação que os impulsiona sempre a buscar cada vez mais. É como se tivessem um buraco interno infinito que nunca é preenchido.
Imagine que o Criador, Deus, Força Superior (como queira chamar) é um oceano energético e que você está dentro dele, que é parte dele. Se assim é, você também é oceano e, como tal, co-criador da sua realidade.
Se somos co-criadores porque vivemos algo tão diferente do que gostaríamos? A resposta é uma só: porque mantemos incutidas em nossa mente crenças limitantes adquiridas desde a nossa criação e que nos impedem de nos sentirmos plenos, deixando aquela sensação de que nada basta e que sempre precisamos de mais!
Todo mundo, de uma forma ou outra, já ouviu frases como: “é mais fácil um camelo passar no buraco da agulha que um rico entrar no reino  céu”; “Deus só ajuda quem cedo madruga”; “Dinheiro é sujo”; “O rio só corre pro mar”; “A vida é dura”… Ditos populares que ficam gravados inconscientemente e que passamos a reproduzir todos os dias pautando nossas ações e pensamentos.
Trabalhamos cada vez mais porque “precisamos de muito dinheiro”, afinal de contas “ o rio só corre pro mar” e “dinheiro chama dinheiro”. Acordamos cedo demais porque “Deus só ajuda a quem cedo madruga”. Quantas vezes já ouvimos alguém dizer que “quem dorme demais é vagabundo e não consegue prosperar”? Será? Por que dizemos que “dinheiro é sujo” se sabemos que “em certo grau” precisamos dele para adquirimos coisas que nos tragam “certo grau” de felicidade e satisfação?
Viu como estas crenças nos limitam e acabam criando uma realidade diferente daquela que desejamos? Se conseguimos perceber que criamos e permitimos que todas essas dificuldades se instalem em nossas vidas poderemos reconhecer nosso potencial de criação para o bem e para o mal, para a satisfação ou para a escassez. Cabe a cada um encontrar o equilíbrio.
Identificar as crenças que nos limitam faz toda a diferença nessa jornada chamada vida.  Observe suas falas, ações, medos… Se desejas algo, pergunte: o que me impede? Por que? Quando este medo de ir em busca do novo começou? Por que não crio a minha realidade para me satisfazer e ser feliz?
Prosperidade e abundância estão intimamente ligadas ao estado de espirito de cada Ser. Reconhecer o potencial Divino individual e ser Grato por tudo que se é, por toda e qualquer experiência, é ser próspero. Prosperidade nada tem a ver com o viu metal, mas com a satisfação individual. Eu agradeço por toda prosperidade e abundância em minha vida!
Lembre-se: crenças limitantes estão no consciente coletivo e nos impedem de encontramos a felicidade que há dentro de nós. Técnicas holísticas como o Thetahealing podem ajudar na identificação e transmutação destas crenças nos fortalecendo e ajudando a encerrar de vez ciclos limitantes permitindo sermos gratos, prósperos e abundantes em tudo.
Desejo que sua vida seja abundante em saúde, sorrisos e amor. Que seus relacionamentos sejam saudáveis e prosperem e que você sinta que quanto mais compartilhamos, mais temos. Aliás, um dos segredos da prosperidade é manter a harmonia entre dar e receber. Afinal, ninguém é tão pobre que não tenha o que compartilhar, nem tão rico que não tenha o que receber.
Todos Somos Um!
*Alessañdra V´ieíra é terapeuta holística certificada nas técnicas ThetaHealing, Barras de Access, Mesa Quântica Estelar e Gendai Reiki Ho. Facebook: @AleVieiraTerapias Instagran: @alevieirario  E-mail: alevieirario@gmail.com  WhatsApp:  (65) 99316-2387

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Artigos

O preço do progresso

Publicado

em

Foto: Emanuel Neto

Nas últimas décadas o estado de Mato Grosso sofreu uma mudança em sua base econômica,  com o avanço do agronegócio, transformando grandes regiões de mata em extensas áreas de monoculturas agrícolas, principalmente a soja.

A produção de soja entrou no município  a uma velocidade crescente, porém a falta de planejamento e estrutura disponibilizada gera impactos negativos, tanto em Rosário Oeste como em outras cidades do estado.

As condições de trafegabilidade, não são satisfatórias, pois temos estradas, rodovias e principalmente pontes, que foram construídas para atender o produtor rural, que escoava sua pequena plantação de mandioca, hortaliças, arroz e animais. Basicamente a economia de muitas cidades, principalmente na zona rural era a agricultura familiar que deu lugar ao agro, desde a década de 1980.

boom das commodities e a liberalização da economia”, fortaleceu a atividade que hoje se concentra na mão dos barões do agronegócio, fazendo com que o Mato Grosso tenha fundamental importância no PIB (Produto Interno Bruto) e na balança comercial.

Se por um lado, isto é excelente, por outro preocupa, os prefeitos que com os recursos do Fethab, buscam soluções paliativas para o problema, como desabamento de pontes, que deixam comunidades isoladas. As péssimas condições de trafegabilidade, ocasionadas pelas carretas e caminhões carregados, que comprometem o bom estado das estradas e rodovias, deixando-as em péssimas condições para carros de passeios e de pequeno porte que são utilizados pelo produtor rural

Uma grande transformação, ocorreu nos povoados e cidades à beira do caminho. O progresso – tanto o bom quanto o mau progresso, acabou chegando e mudando consideravelmente e vida dos moradores das vilas, assentamentos e comunidade rurais nas mais diversas regiões.

A necessidade eminente de esforço conjunto do governo estadual e prefeituras municipais para a expansão do agronegócio é urgente, os governos precisam de um planejamento a médio e longo prazo, que inicialmente resolva o problemas das estradas que estão em condições precárias, como em Barra do Bugres, Nova Marilândia, Denise, Nova Olímpia, Santo Afonso, na zona rural da maioria dos municípios.

Reconstrução das pontes é outro ponto que deve ser debatido por órgãos estaduais, municipais e federais, que devem apontar uma solução rápida, uma vez que muitos municípios, padecem com a velha estrutura que nãosuporta o intenso tráfego das carretas e acaba caindo deixando comunidades inteiras prejudicadas.

Apontar um caminho, que seja viável isto é o que se espera de todos, para que pequenos e grandes agricultores tenham êxito e continuem gerando emprego e renda no estado.

Por Elisângela Neponuceno- jornalista em Mato Grosso

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana