conecte-se conosco


Política MT

Emanuelzinho diz que Bolsonaro deve apresentar dados da economia e funcionalidade na nova estrutura para extinção do Ministério do Trabalho

Publicado

em

A decisão de Jair Bolsonaro de extinguir o Ministério do Trabalho foi questionada pelo deputado federal eleito, Emanuel Pinheiro, o Emanuelzinho do PTB.

Em entrevista ao MT de Fato, na noite desta quarta-feira (07), Emanuel disse que não foi uma decisão feliz e o presidente eleito precisa explicar qual a finalidade e apresentar dados da economia que comprovem a necessidade da redução de mais uma pasta.

Segundo Pinheiro uma avaliação minuciosa é necessária para que não haja prejuízo aos mais fracos, a classe trabalhadora.

“A fiscalização das condições abusivas de trabalho e do trabalho escravo, por exemplo, é feita hoje por este Ministério. Dentro da nova estrutura que ainda não foi explicada isto será mantido?”, questionou.

Ele explicou que a equipe de Bolsonaro precisa analisar criteriosamente, se com a mudança, todas as finalidades serão mantidas e como isto será incluído em outra pasta.

“Isto afeta diretamente o setor, pois o Ministério tem esta finalidade de dialogar com os sindicatos, o setor produtivo que hoje tem a maior força na regulação do trabalho, gera uma incerteza na parte mais fraca. Ainda não sabemos se pretende abrir uma agencia ou um órgão de hierarquia menor com as mesmas características”, elencou.

 

 

 

A Extinção do Ministério do Trabalho

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (7) que o Ministério do Trabalho será “incorporado” a alguma outra pasta, sem indicar qual, dentro de seus planos confusos de redução do número de ministérios no governo.

“O Ministério do Trabalho vai ser incorporado a algum ministério”, disse ele em Brasília, sem dar maiores detalhes.

O comunicado afirma que “o futuro do trabalho e suas múltiplas e complexas relações precisam de um ambiente institucional adequado”.

A Força Sindical criticou o anúncio de Bolsonaro por considerar que o Ministério do Trabalho é crucial “como órgão fiscalizador e como o equilíbrio das relações entre capital e trabalho”.

 

Fonte: Elisângela Neponuceno-MT de Fato

 

 

 

Política MT

Governo antecipa pagamento de julho e folha suplementar será paga na terça-feira (27)

Publicado

em

O Governo do Estado recebeu a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) nesta quarta-feira (21.08), no Palácio Paiaguás, para equalizar as questões referentes ao pagamento do ponto que havia sido cortado durante o período de paralisação dos servidores. Uma folha suplementar será paga na próxima terça-feira (27.08), com os valores dos meses de maio, junho e julho.

Inicialmente, o acordo para o encerramento da greve previa o pagamento dos pontos de maio e junho, no dia 20 de agosto, e dos meses de julho e agosto, no dia 10 de setembro. Com uma readequação, foi possível a quitação de todos os meses de ponto cortado já na última terça-feira (20.08).

No entanto, 138 escolas não cumpriram o prazo de envio – que era até o dia 12 de agosto – da documentação dos funcionários que retornaram da paralisação, assumindo o compromisso de reposição das aulas perdidas com a greve, e cerca de cinco mil servidores ficaram de fora do pagamento do dia 20.

“A Secretaria de Educação tomou conhecimento da questão e já deu início ao levantamento e diagnóstico daqueles que ficaram sem receber. Até quinta-feira (22.08) este levantamento estará finalizado e encaminhado para a elaboração da folha, que será quitada no dia 27”, explicou a secretária de Educação, Marioneide Kliemaschewsk.

“É muito importante frisar que nos adiantamos ao acordo e todos os dias de ponto cortado estão sendo quitados nesta folha suplementar, com 20 dias de antecipação. Os salários de agosto serão pagos dentro da folha, normalmente, no dia 10 de setembro”, completou a gestora.

Durante a reunião com o Sintep, o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, pontuou a necessidade de Governo e servidores unirem esforços em prol do Estado. De acordo com ele, somente com o engajamento de todos será possível fazer com que Mato Grosso volte a se desenvolver.

“Precisamos virar essa página e contamos com a ajuda de todos os servidores para reconstruir o Estado. Queremos uma educação melhor, assim como saúde, segurança pública e todos os serviços oferecidos à população. Não tem como um governo ter sucesso se não estiver junto com os servidores e acredito que, com o engajamento de todos, iremos fazer a diferença”, declarou Carvalho.

O presidente do Sintep, Valdeir Pereira, disse que a reunião foi positiva no sentido de aparar arestas e dirimir questionamentos a respeito dos pagamentos dos servidores da Educação.

“Viemos para checar as informações e peço que o Governo mantenha sempre o diálogo aberto com a categoria e com os servidores da forma como está fazendo”, afirmou Pereira, no que foi prontamente ratificado pelo chefe da Casa Civil.

Também participou da reunião o secretário de Planejamento e Gestão, Basílio Bezerra.

Fotos: Christiano Antonucci

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana