conecte-se conosco


Cuiabá

Eleitores cobram responsabilidade dos candidatos por meio de denúncias

Publicado

em

Por meio do aplicativo Cidadão Fiscal, desenvolvido pela Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), eleitores de todas as regiões do país mostraram sua indignação com a postura dos candidatos aos diversos cargos em disputa no pleito do último domingo (7) denunciando práticas irregulares.

O dia de votação deste primeiro turno concentrou 38% do total de denúncias feitas pelo aplicativo. “É justamente este nosso objetivo, fazer com que o eleitor se torne cada vez mais o protagonista deste processo eleitoral, atuando como cidadão pleno, votando e também fiscalizando o processo”, explicou o presidente da OAB-MT, Leonardo Campos.

No domingo, além de votar, os eleitores mostraram que estavam preocupados com a lisura do processo. Compra de votos, propaganda irregular, fotos feitas indevidamente nas cabines de votação e o famoso “derramamento de santinhos” foram alguns dos fatos denunciados.

Eleitores da baixada cuiabana mostraram que já não toleram mais a prática de distribuição massiva de material de campanha que acaba jogado nas portas dos colégios eleitorais e não pouparam denúncias.

Ao todo, cidadãos de 17 estados utilizaram o Cidadão Fiscal que, além de permitir o encaminhamento de denúncias, inclusive anônimas, com fotos, vídeos e mensagens de texto, facilita o acesso à legislação eleitoral, possibilitando que dúvidas sobre a lei vigente para o pleito possam ser esclarecidas na palma da mão.

Todas as denúncias são encaminhadas para os devidos órgãos de fiscalização para a apuração dos fatos narrados pelos cidadãos brasileiros. De acordo com o presidente da OAB-MT, é importante que o denunciante encaminhe o maior número de informações sobre o fato, enviando fotos, vídeos, locais e datas, sempre que possível.

O Cidadão Fiscal é um aplicativo gratuito que pode ser instalado em qualquer smartphone. Basta procurar por seu nome na Play Store ou App Store. A ferramenta continuará disponível e pode ser utilizada até após a conclusão do segundo turno das eleições.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cuiabá

Hospitais Filantrópicos de Cuiabá vão suspender atendimentos na próxima segunda-feira (22)

Publicado

em

Na próxima segunda-feira (22), os hospitais filantrópicos de Cuiabá, Hospital Geral – HG, Hospital Santa Helena e Hospital de Câncer de Mato Grosso irão paralisar alguns atendimentos pelo Sistema único de Saúde – SUS, devido a falta de repasses da Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá – SMS.

Segundo os diretores das instituições filantrópicas de Cuiabá, após meses de reuniões e conversas com o representante do município, não houve cumprimento dos pagamentos atrasados pela Prefeitura de Cuiabá.

Desde a assinatura em novembro de 2017 da nova contratualização com essas instituições, a SMS não vem fazendo os repasses dos incentivos nos setores de UTI, maternidade e exames diagnósticos de câncer, o que já acarreta uma dívida de quase R$ 3 milhões com esses hospitais e está inviabilizando a prestação de serviços.

Para o Hospital Santa Helena os atrasos representam R$ 1.560 mi referente ao incremento para manutenção da Porta aberta 24h da maternidade e os valores dos honorários médicos, sob o Índice de Valorização por Qualificação Profissional – IVQ. Onde são realizados em torno de 700 partos/mês.

Para o Hospital Geral o valor atrasado desde novembro de 2017 está em R$ 827.200,00, referente ao auxílio de custeio das UTI´s tipo III que servem de retaguarda para as cirurgias de alta complexidade cardiovascular e neurológica. O HG realiza em média mais de 35 procedimentos de alta complexidade nestas especialidades/mês.

Para o Hospital de Câncer o incentivo financeiro representa o custeio de procedimentos de diagnóstico e tratamento de câncer (iodoterapia, endoscopia, colonoscopia, polipectomia), honorários médicos (IVQ) e auxílio de UTI tipo II,  onde o montante já está em R$ 319.422,38.

Para finalizar os diretores dos hospitais disseram que os valores são reconhecidos pelo município e estão nos contratos vigentes, porém não existe nenhuma perspectiva de pagamento por parte da SMS e da Prefeitura de Cuiabá. “Estes débitos estão trazendo prejuízos imensuráveis aos hospitais que às duras penas tem mantido a prestação de serviços, porém, não mais estão suportando a falta de recursos, na medida em que se trata de instituições filantrópicas, em que praticamente a totalidade de suas receitas advém dos serviços prestados aos usuários do Sistema Único de Saúde, portanto, depende dos recebimentos do SUS para honrar com o pagamento de seus colaboradores e fornecedores”.

 

Redação

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana