conecte-se conosco


Política MT

Debate eleitoral da TV Mais neste domingo promete ser “acalorado”

Publicado

em

Debate entre os candidatos ao Governo de Mato Grosso promovido pela TV Mais (afiliada da TV Cultura) e GW100 acontecerá neste domingo (dia 16), com início às 20 horas. Com uma estrutura diferenciada, o encontro promete discussões inflamadas entre os postulantes ao comando do Estado.
Os cinco candidatos que disputam o Governo foram convidados. São eles: o governador Pedro Taques (PSDB), que busca a reeleição; Mauro Mendes (DEM); Wellington Fagundes (PR); Artur Nogueira (Rede); e Moisés Franz (PSOL).
Serão cinco blocos com perguntas entre os candidatos, todos eles com tema livre. A ordem foi determinada por sorteio. As regras do debate foram aprovadas pelas respectivas assessorias. A finalidade da estrutura adotada é de que as discussões fluam livremente entre os participantes, evitando assim o chamado “engessamento”.
Com transmissão ao vivo pelo canal 17.1 e redes sociais, o encontro será mediado pela cientista política e socióloga Christiany Fonseca. O evento acontecerá no auditório da FECOMÉRCIO, localizado na Avenida Historiador Rubens de Mendonça, nº 3.501.
No primeiro bloco, haverá a apresentação prévia dos candidatos e iniciará a primeira rodada de perguntas. No último bloco, terá a mesma estrutura de perguntas, mais o tempo para que o candidato faça suas considerações finais e encerramento. O debate terá duração de até 2 horas e 50 minutos.
Ficou definido que cada candidato poderá levar 20 convidados. Durante o debate não será permitido manifestações por parte da plateia. Cada candidato terá direito ao acesso de um assessor durante os intervalos entre os blocos.
Em todos os blocos, os tempos de pergunta, de resposta, de réplica e de tréplica serão os mesmos. Os candidatos terão 1 minuto para elaboração da pergunta. O escolhido terá 2 minutos para a resposta. A réplica e a tréplica terão 45 segundos cada um.
Fonte: Bruno Garcia- Assessoria

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Instituto e dirigente são condenados por apresentar notas falsas

Publicado

em

O Instituto de Desenvolvimento Profissional do Brasil (Indesp) e seu dirigente, Ricardo Mário Ceccarelli, devem devolver aos cofres públicos estaduais a quantia de R$ 86.514,00, atualizada a partir de 29/11/2013. Na manhã desta terça-feira (25/09), o Pleno do Tribunal de Contas, por unanimidade, julgou irregular a prestação de contas da entidade, que buscou recursos públicos para a realização de Campeonato de Bandas e Fanfarras, em nível estadual e municipal, mas apresentou como comprovante de gastos notas fiscais fraudadas.

De acordo com o voto do relator do Processo nº 15172/2016, conselheiro interino Luiz Carlos Pereira, foi instaurada uma Tomada de Contas Especial para que a Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas) analisasse a prestação de contas do Indesp, referente ao Convênio nº 034/2013, cujo objeto era o campeonato de bandas e fanfarras.

A comissão de Tomada de Contas concluiu pela regularidade das mesma, porém, em uma análise mais apurada, a Controladoria-Geral do Estado (CGE) constatou que as notas fiscais eletrônicas eram fraudadas, “isso porque continham idêntico código verificador de autenticidade de outras notas, estas sim regularmente emitidas. Assim, ficou caracterizada a falsidade dos documentos fiscais utilizados para comprovação de despesas, após confrontação dos dados nelas contidos junto à Secretária de Fazenda do Município de Cuiabá, uma vez que se tratavam de notas de prestação de serviços”, diz trecho da decisão do TCE-MT.

O apontamento da CGE foi atestado pela equipe técnica do Tribunal de Contas. Além de ressarcir o erário, na íntegra, o conselheiro relator, em consonância com parecer do Ministério Público de Contas (MPC), determinou que o Instituto e o seu dirigente paguem, solidariamente, 10% de multa sobre o valor do dano apurado. Determinou ainda que cópia dos autos seja encaminhada para o Ministério Público Estadual (MPE), para as providências cabíveis.

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana