conecte-se conosco


Cultura

Coral UFMT encerra temporada com concerto especial no fim de semana

Publicado

em

O ano foi especial para o Coral da Universidade Federal de Mato Grosso, com muitas atividades desenvolvidas em Cuiabá e a participação em um encontro internacional de coros, no Panamá. Para comemorar as conquistas, o grupo realiza nos dias 08 e 09 (sábado e domingo), às 20h, no Teatro UFMT, um concerto que marca o aniversário de 48 anos da UFMT e também o encerramento da temporada 2018.

Os ingressos serão trocados por 01 livro de literatura infantil ou infantojuvenil ou gibis, que serão destinados ao Projeto Inclusão Literária. A troca irá ocorrer nos dias dos espetáculos, a partir das 18h, na bilheteria do teatro.

A maestrina e diretora artística do Coral UFMT, Dorit Kolling, informa que o concerto será dividido em dois momentos. No primeiro, o grupo interpreta um clássico da música vocal latino-americana: a “Misa Criolla”.

Composta por Ariel Ramirez, entre 1963 e 1964, a Misa traz consigo a ideia de uma obra litúrgica, escrita em língua espanhola, em que cada parte é interpretada com ritmos diferentes que correspondem a regiões distintas da Argentina.

“A Misa Criolla, juntamente com Navidad Nuestra, é considerada a mais famosa composição de Ramirez e também, devido a sua popularidade, que ultrapassa as fronteiras da América do Sul, a mais importante obra argentina de música sacra. É uma das mais populares de música cristã na América Latina e muito conhecida e executada entre os corais amadores”, destaca.

O cantor cuiabano Helberth Silva é o solista para a apresentação da “Misa Criolla”, que conta ainda com o acompanhamento dos músicos Rodrigo Cavalcante (teclado), Gabriel Rodrigues Campos (charango), Nelson Cunha (contrabaixo), Tarcísio Oliveira e Adonys Aguiar (percussão).

Já no segundo momento, Dorit explica que os coralistas cantam obras diversas do repertório, apresentando compositores norte americanos do século XX e canções da nossa Música Popular Brasileira, de autoria de Edu Lobo e Capinan, Milton Nascimento, Geraldo Espíndola.

“Composições de Eduardo Gudin e Costa Neto, Geraldo Vandré e Theo Barros se contrapõem às canções eruditas de compositores norte-americanos Randall Stoope (1953), Ralph Manuel (1951) e Eric Witachre (1970) completam o programa”.

Também se participam da apresentação Rodrigo Cavalcante (teclado), Gabriel Rodrigues Campos (violão), Nelson Cunha (contrabaixo), Tarcísio Oliveira, Adonys Aguiar e Clóvis Goncalves de Oliveira (percussão).

Trajetória

O Coral da UFMT desenvolve, há 38 anos, um trabalho musical voltado aos estudantes de diversos cursos da universidade, professores, servidores e comunidade em geral. Desde que foi criado, o grupo já realizou concertos no Uruguai, no Paraguai e na Argentina. Em outubro desse ano, viajou ao Panamá para participar do 30º CantaPueblo – um encontro internacional de coros.

“Após muito trabalho e com importantes apoios, conseguimos tornar esse sonho uma realidade. No Panamá, compartilhamos experiências com outros grupos participantes, realizamos diversas apresentações. E acima de tudo, cantamos muito”, comemora Dorit, destacando que foram dias intensos que energizaram os participantes e os fizeram acreditar cada vez mais no que fazem: arte, música, canto coral, celebrar a vida e a amizade.

A maestrina lembra ainda que, ao longo de mais de três décadas, o grupo tem sido responsável por proporcionar à sociedade mato-grossense inúmeros concertos e espetáculos temáticos, conjugando música e cena, como nos shows “Brasil, Música Armada”, Os Festivais”, Alguém Cantando”, Coral UFMT Canta Chico” e “Coral UFMT Canta Beatles”.

“Nesta noite festiva, em que comemoramos os 48 anos da UFMT, o Coral realiza seu concerto de encerramento da temporada de um ano de muito trabalho, de superação e de conquistas. Um ano bastante inspirador para toda a equipe”, garante.

O Coral está sob a supervisão de Naise Santana, tendo como preparador vocal André Vilani. Desde agosto de 1989, está sob direção artística e regência da maestrina Dorit Kolling.

O concerto é uma realização da UFMT/PROCEV, Agenda Tricentenária e Coral UFMT e conta com o apoio cultural da escola Toque de Mãe, Pueri Domus, Carmem D´Lamônica, Panam, Kasual, Colégio Master, Unimed, Ceteps, Fundação Júlio Campos, Help Vida e BPW Cuiabá.

Cultura

Galeria Lava Pés recebe exposição “O Egito Sob o Olhar de Napoleão

Publicado

em

Cuiabá está novamente na rota das grandes exposições nacionais. Na próxima quarta-feira (17), a partir das 20h, a Galeria de Artes Lava Pés recebe a exposição O Egito Sob o Olhar de Napoleão, na Coleção Itaú Cultural.

A exposição apresenta um deslumbrante acervo voltado ao conhecimento científico no período das grandes conquistas napoleônicas. E esse é apenas um dos aspectos formidáveis dessa exposição que traz à luz, o movimento apoiado por Napoleão Bonaparte, no século 18.

“É um privilégio e uma grande responsabilidade abrir as portas da Galeria novamente. Mas não basta apenas estar de portas abertas, é preciso cuidado, esmero e respeito para com um público, cada dia mais exigente. Nossa missão é oferecer o que de melhor as artes têm a proporcionar”, ressalta o secretário de Cultura, Esporte e Lazer de Mato Grosso, Allan Kardec.

Em pouco mais de três meses, a Galeria Lava Pés vem se transformando num espaço referência para as artes visuais em Mato Grosso. “E essa nova exposição vem como um marco que estabelece o nível que pretendemos manter durante toda a Temporada 2019”, comenta Kardec.

Palestra do curador

Além da exposição, que fica em cartaz até o mês de maio, O Egito Sob o Olhar de Napoleão, na Coleção Itaú Cultural, conta ainda com uma palestra do curador Vagner Carvalheiro Porto, a ser realizada na terça-feira (16), às 19h, no Cine Teatro Cuiabá, sobre o tema. Será aberta à toda a comunidade.

Vagner Carvalheiro Porto é mestre e doutor em Arqueologia pela Universidade de São Paulo (USP). Desenvolveu como pesquisador da USP com parceria com o Igespar (Instituto de Gestão do Patrimônio Arquitetônico e Arqueológico – Portugal), e com a Universidade de Brown, EUA, escavações arqueológicas sobre as formas de contato entre o Império Romano e as populações locais em Portugal.

Desenvolveu como pesquisador da USP com parceria da Universidade de Tel Aviv escavações em Apollonia, Israel. Atualmente é professor Doutor do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP. Tem experiência na área de Arqueologia, com ênfase em Arqueologia mediterrânica e do Oriente Próximo, atuando principalmente nos seguintes temas: arqueologia romana provincial, Numismática do Mundo Antigo, curadoria de exposições e Humanidades Digitais.

É Co-coordenador do LARP, Laboratório de Arqueologia Romana Provincial (USP) no qual desenvolve pesquisa docente sobre as províncias romanas da Síria-Palestina e da Península Ibérica.É Coordenador do Programa de Pós-Graduação Interunidades em Museologia da USP. É Coordenador do Grupo de Pesquisas ARISE – Arqueologia Interativa e Simulações Eletrônicas. É Editor chefe da Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP.

Sobre a exposição

O fascínio que a cultura egípcia exerce sobre todos os povos do planeta corrobora com os esforços cumpridos pelo grupo de homens recrutados em 1798 por Napoleão para a campanha do Egito. A tarefa desses bravos homens era registrar, coletar, descrever e reproduzir uma infinidade de espécimes da fauna e da flora, além é claro, dos aspectos culturais da terra dos faraós.

A mostra, que tem a curadoria de Vagner Carvalheiro Porto, expõe descobertas que são fruto da expedição de Napoleão Bonaparte ao Egito, reunidos em uma coleção com trabalhos de estudiosos sobre a arqueologia, a topografia, a religião e a história daquele país. Também fazem parte dessa exposição reproduções fotográficas realizadas com base nas matrizes de cobre pertencentes ao Museu do Louvre, em Paris.

Para nossa sorte, tais esforços, no entanto, culminaram na publicação da obra Description de l’Egypte, sem dúvida, o mais importante estudo sobre a região, realizado naquele século. Mais de 200 anos depois, essa obra chega até Cuiabá em forma de exposição por meio da parceria entre a Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer de Mato Grosso e o Itaú Cultural, proporcionando aos mato-grossenses uma temática de exposição jamais vista na capital mato-grossense.

“Esta é uma oportunidade singular, uma janela de acesso a um olhar racional sobre a realidade de outras eras que nos ajuda a compreender um pouco as relações entre homens e culturas do passado”, conclui Kardec.

Serviço

Tema: Exposição O “Egito Sob o Olhar de Napoleão, na Coleção Itaú Cultural”.

Quando: 17/04 (quarta-feira)

Horário: a partir das 20h

Quem pode participar: Livre para todas as idades/ Entrada franca

Local: A Galeria de Artes Lava Pés é um dos equipamentos culturais da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer de Mato Grosso. Está localizada na Avenida José Monteiro de Figueiredo (Lava Pés), 510, Duque de Caxias, em Cuiabá, aberta ao público de segunda à sexta-feira, sempre das 8h às 18h.

Outras informações: (65) 3613-0225/0209

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana