conecte-se conosco


Política MT

Botelho é reeleito com 33788 votos

Publicado

em

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM) foi reeleito com 33.788 votos, neste domingo (07.10), pela Coligação Pra Mudar Mato Grosso – DEM, PSD, PDT, PSC, MDB, PMB, PHS e PTC. Chapa que também elegeu Mauro Mendes governador com 840.094 votos.

Ele atribui o resultado ao incansável trabalho voltado ao desenvolvimento de Mato Grosso, especialmente, nos setores essenciais como agricultura familiar; saúde; regularização fundiária, além da atuação parlamentar em que defendeu os servidores públicos, os hospitais filantrópicos, a aprovação de leis e a condução transparente do Poder Legislativo, que esteve mais próximo da população nas cidades polos com a Assembleia Itinerante e audiências públicas.

“Quero agradecer de coração os votos de confiança que recebi, passamos por muitos lugares, reencontramos amigos e pudemos mostrar o nosso trabalho sério e comprometido com a nossa gente. Agora, temos a oportunidade de um novo mandato, ao qual vou retribuir com muito trabalho e empenho! A todos vocês o meu muito obrigado!”, destacou Botelho.

PERFIL

Com uma infância marcada por muito trabalho, Botelho nasceu em 08/03/1959, em Nossa Senhora do Livramento. Filho de Benedito Caetano Botelho e dona Venina Vieira Botelho, tem nove irmãos e passou a infância no sítio Pirapora. Pai de quatro filhos, Botelho é casado com Sônia Meira Botelho, a presidente de honra da Sala da Mulher da ALMT.

Começou a trabalhar ainda na infância, junto com o pai na roça, serviço árduo, mas necessário para ajudar no sustento da casa. Depois foi morar em Cuiabá com a família. Com espírito empreendedor, começou a vender jornais pela manhã e balas na porta dos cinemas à noite, época áurea do Cine Teatro e do Cine Bandeirantes.

Determinado, estudou na capital nas escolas públicas Leovegildo de Melo, Fernando Leite e Escola Técnica Federal. Formou-se em Engenharia Elétrica pela UFMT e em Licenciatura, com especialização em Matemática. Mesmo diante das dificuldades financeiras, não media esforços para conquistar seu espaço profissional e ajudar a família. Conciliava o trabalho com os estudos e a vida foi melhorando gradativamente.

Estagiou na Empaer; foi auxiliar de oficina na antiga Grecovel Veículos; professor de Matemática e Física em diversas instituições de ensino em Cuiabá e cidades do interior. Botelho continuou firme na luta e obteve êxito na carreira empresarial e pública. Se destacou no antigo escritório regional da Cemat, na década de 90, época em que se desdobrou para ajudar a levar energia elétrica aos mais distantes rincões mato-grossenses.

Emociona-se quando lembra que até o ingresso na universidade sua casa não tinha energia elétrica. Com incentivos da família, em 2013 se filiou ao PSB e se candidatou em 2014 pela primeira vez, sendo eleito deputado estadual chegando à Mesa Diretora, tornando-se presidente da ALMT, biênio 2017-2018. Em 23.03.2018 se filiou no partido Democratas.

Comentários Facebook

Política MT

Câmara pode votar na terça-feira MP que redistribui arrecadação de loterias

Publicado

em

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Ordem do dia para discussão e votação de projetos.
Deputados poderão votar medida provisória que aumenta o valor destinado pelas loterias ao setor de segurança pública

A distribuição do dinheiro arrecadado com as loterias vai estar em debate no Plenário da Câmara dos Deputados a partir de terça-feira (20). É que está pronta para ser votada a Medida Provisória 846/18, que traz novas regras para a divisão desses recursos entre diversos setores.

No ano passado, as loterias arrecadaram quase R$ 14 bilhões em apostas. Cerca de R$ 3 bilhões foram distribuídos para educação, cultura, esporte e segurança pública. A MP 846 quer aumentar o que é destinado para segurança, saindo dos cerca de R$ 400 milhões no ano passado para mais de R$ 1 bilhão no ano que vem.

Como o dinheiro que vai para as outras áreas é praticamente mantido, o texto tem consenso entre os partidos e poderá ser aprovado com facilidade. O assunto já passou por uma longa negociação, inicialmente com fortes reações e até protestos das classes artísticas e esportivas.

A deputada Laura Carneiro (DEM-RJ) lembra que o governo editou anteriormente outra medida provisória que alterava a distribuição dos recursos das loterias (MP 841/18). “A medida provisória inicial era a 841, que era muito ruim porque retirava dinheiro tanto do esporte como da cultura, embora desse para segurança. Essa medida foi retirada e apresentada uma nova medida [MP 846], que é fruto de um grande acordo feito com vários setores”, disse a parlamentar.

O deputado Pastor Eurico (Patri-PE) concordava com a primeira versão, que dava mais dinheiro para as forças de segurança. No entanto, diante dos protestos e negociações, ele vai apoiar o novo texto. “A nossa luta era que houvesse um investimento maior na segurança, porque é uma calamidade a questão da segurança em nosso Brasil. Porém, com esses contratempos e discussões, não diria jogos de interesses, mas alguns defendendo as questões de educação, saúde, segurança, esporte e tal, resolveu-se dividir”, afirmou.

Para o deputado Edmilson Rodrigues (Psol-PA), a versão atual da medida corrige o erro inicial do governo de retirar dinheiro da cultura e do esporte. “[A MP] já reconhece que, realmente, é uma contradição querer investir somente em segurança, retirando recursos de áreas que são fundamentais para conter a violência, particularmente a violência urbana”, declarou.

O presidente da comissão mista que avaliou a medida provisória antes de ela chegar ao Plenário, deputado Evandro Roman (PSD-PR), destacou que, pela primeira vez, foi colocado um percentual para custear despesas com o deslocamento e mudança de familiares dos integrantes das forças de segurança. “Os integrantes dessas forças de segurança que vão se deslocar para as regiões de fronteira ou para o Rio de Janeiro poderão levar suas famílias com uma infraestrutura resguardada por essa medida provisória”, disse o deputado.

Simples Nacional
Além da MP que traz novas regras para distribuição do dinheiro arrecadado pelas loterias, outras propostas poderão ser votadas pelos deputados. Entre elas o Projeto de Lei Complementar (PLP) 420/14, que inclui no regime simplificado de cobrança de impostos, o Simples Nacional (Supersimples), empresas de controle de pragas urbanas, de fisioterapia e transporte turístico de passageiros.

Audio Player

Ouça esta matéria na Rádio Câmara

Fundo ferroviário
Os deputados também poderão analisar a Medida Provisória 845/18, que cria o Fundo Nacional de Desenvolvimento Ferroviário. Segundo o governo, o fundo servirá para viabilizar investimentos no setor, principalmente no Arco Norte do Brasil, o que vai proporcionar a redução dos custos de transportes, da emissão de poluentes e do número de acidentes em rodovias, além da melhoria do desempenho econômico de toda a malha ferroviária.

Comentários Facebook
Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana