conecte-se conosco


Interior

Após denúncia, Sema apreende mais de 170kg de pescado irregular no Araguaia

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) apreendeu 172 kg de pescado irregular na manhã desta quinta-feira (10.01) em Barra do Garças (a 421 km de Cuiabá).

A apreensão ocorreu após denúncias recebidas pela equipe da Diretoria da Unidade Desconcentrada (DUD) do município. A equipe flagrou dois pescadores, que abandonaram um barco às margens do rio Araguaia e fugiram. Dentro da embarcação estavam 10 peixes da espécie piraíba, também conhecida como filhote, que tem a pesca proibida no estado. A Sema-MT doou o pescado apreendido para o asilo Associação Beneditina de Providência.

Com a ajuda de denúncias feitas pela população, a DUD de Barra do Garças vem realizando operações de fiscalização nos rios Araguaia e Garças, que cortam o perímetro do município, em busca de pescadores que têm infringido o período proibitivo. Já foram apreendidas mais de 80 redes, além de outros materiais de pesca predatória.

O diretor da unidade desconcentrada, David Lincoln de Campos, garante que a população tem ajudado com informações para subsidiar as operações de fiscalização, mas afirma que os pescadores também precisam ter consciência da conservação das espécies: “Os pescadores precisam se lembrar que não se pode pescar na piracema. E a Sema tem trabalhado para conscientização de todos sobre a importância do período proibitivo. Continuamos a chamar a população para nos auxiliar nessa missão”.

A pesca do peixe filhote assim como o dourado é proibida em Mato Grosso durante todo o ano. Essas espécies estão protegidas em virtude do possível risco de extinção e da conservação da biodiversidade das bacias hidrográficas de Mato Grosso.

Piracema

A Piracema é período em que os peixes estão em processo de reprodução. A pesca nesse período é crime e acarreta em prisão e multa que varia de R$ 1 mil a R$ 100 mil com acréscimo de R$ 20 reais por quilo de peixe encontrado.

A pesca amadora e o pesque e solte também estão proibidas neste período, que vai até 31 de janeiro.

Na piracema só é permitida a pesca de subsistência, que é praticada por comunidades ribeirinhas que depende do peixe para sua alimentação. A cota diária por pescador (subsistência) será de 3 kg ou um exemplar de qualquer peso, respeitando os tamanhos mínimos estabelecidos pela legislação para cada espécie. Porém os ribeirinhos devem consumir os peixes imediatamente e não podem transportar ou comercializar o pescado.

A Sema-MT atende a população para dúvidas e denúncias pela ouvidoria 0800-65-3838, pelo site do órgão ou pelo aplicativo MT Cidadão.

 

Fonte: Sema-MT

Por Yan Silva

Comentários Facebook

Interior

PM prende dois e apreende 300 kg de pescado ilegal em Poconé

Publicado

em

Na madrugada desta quinta-feira (17.01) policiais da 6ª Companhia de Polícia Militar de Poconé (a 100km de Cuiabá) prenderam dois homens e com eles apreenderam cerca de 300 quilos de pescado (29 pintados, seis pacus, quatro jaus, duas cacharas, entre outros espécies).

G.E.S.S., 56, e J.G.R.S., 35, ambos moradores de Várzea Grande, bairros São Mateus e Santa Luzia, respectivamente, foram presos quando transportavam o pescado, em um Fiat Uno, vindo do Pantanal.

A prisão aconteceu na estrada de acesso a Porto Cercado, já chegando a cidade de Poconé. Todos os peixes estavam sem cabeça, uma prática comum da pesca predatória. No carro havia também um tanque de barco, galão de combustível, facão, alicates, entre outros apetrechos de pesca.

De acordo com o registro dos policiais da 6ª Cia PM, os dois suspeitos presos tentaram fugir se embrenhado em uma área de mata. G. acabou se ferido no pé e precisou passar por sutura na unidade de Proto Atendimento de Poconé, enquanto J. torceu o pé. No carro havia um terceiro homem, identificado apenas pelo apelido, que conseguiu fugir e ainda não foi localizado.

A pesca e o transporte de peixe estão proibidos nos rios de Mato Grosso desde outubro de 2018 e prossegue até final de fevereiro, se não houver prorrogação, em função da Piracema, período de desova do peixe. Além dessa questão, a suspeita de que neste caso foram empregados apetrechos de uso proibido.

Os suspeitos e todo o material apreendidos foram levados para o plantão da Delegacia de Polícia de Poconé.

Comentários Facebook
Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana