conecte-se conosco


Política Nacional

Ao vivo: acompanhe a cerimônia de posse de Jair Bolsonaro

Publicado

em

Eleito em outubro de 2018 com mais de 57 milhões de votos, Jair Bolsonaro toma posse como presidente da República neste dia 1º de janeiro. A cerimônia começa no início desta tarde, com atos no Congresso Nacional, às 15h (horário de Brasília), e no Palácio do Planalto e no Itamaraty. O rito terá transmissão ao vivo da TV Brasil, a partir de 13h30 (horário de Brasília), e das Rádios EBC, com início às 14h (horário de Brasília). A Agência Brasil, Radioagência Nacional e Portal EBC também trazem informações, imagens, vídeos e áudios, em tempo real, sobre a solenidade.

Siga a posse de Jair Bolsonaro em tempo real:

 

Jair e Michelle Bolsonaro chegam ao Congresso Nacional, acompanhados de Hamilton Mourão e esposa. Depois de cumprimentarem os presidentes da Câmara e do Senado, eles sobem a rampa do Congresso Nacional.

Um dos filhos de Bolsonaro, Carlos Bolsonaro, acompanha o pai no desfile pela Esplanada dos Ministérios, junto ao Rolls-Royce presidencial. O carro foi seguido por seguranças a pé e pelos Dragões da Independência. Jair Bolsonaro acena para o público concentrado no Congresso Nacional, onde ele desembarca nesse momento.

Vídeo incorporado

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, divulgou há pouco no Twitter um vídeo no qual pede apoio da população para “mudar o destino do Brasil”. O vídeo foi gravado minutos antes de Bolsonaro deixar a residência oficial da Granja do Torto para se deslocar à cerimônia de posse, na Esplanada dos Ministérios.

A transmissão da posse está ao vivo na TV Brasil.

(por Felipe Pontes – Agência Brasil)

O senador eleito Flávio Bolsonaro e o deputado eleito Eduardo Bolsonaro, ambos filhos do presidente eleito Jair Bolsonaro, circulam pelo plenário da Câmara enquanto aguardam o pai.

No plenário da Câmara, os presentes conversam descontraídos enquanto aguardam a chegada do presidente eleito. Entre os que podem ser vistos no local, estão o presidente da Bolívia, Evo Morales, o ex-presidente Fernando Collor, parlamentares recém-eleitos e futuros ministros, bem como parentes e amigos do presidente eleito.

Também encontram-se no plenário da Câmara militares de alta patente e religiosos.

Na chegada ao Congresso, Bolsonaro será recebido pelos presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado Federal, Eunício Oliveira (MDB-CE).

Após passar pelos Dragões da Independência, ele receberá os cumprimentos da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, na entrada do Salão Negro.

Em seguida, o presidente eleito passa pela ala de homens da Força Aérea Brasileira e, posteriormente, da Marinha, já no Salão Verde, de onde se dirige ao plenário da Câmara dos Deputados para a sessão solene de posse.

01/01/2019 14:46
Acompanhe a posse também pelas Rádio Nacional

A comitiva de Jair Bolsonaro chega à Catedral Metropolitana de Brasília. Bolsonaro sai do carro e faz o sinal da cruz. Neste momento, cumprimentou o vice Hamilton Mourão e acenou para o público. O presidente desfilará em carro aberto pela Esplanada dos Ministérios.

(por Heloisa Cristaldo – Agência Brasil)

“Ele já vai nos reunir de novo agora no dia 3, às 9h da manhã, no Palácio do Planalto, sempre nesse sentido, [falando] da missão que nós temos para cumprir, da responsabilidade que nós temos com a esperança que está lá na rua e que nos trouxe até aqui. Ontem estive com ele, às 19h, ele tá muito feliz, alegre, descontraído”, disse Onyx Lorenzoni, ao chegar no Congresso Nacional. Onyx será o ministro da Casa Civil do governo.

“O Brasil todo esperava muito por essa modificação. Quando a gente olha para 2013, 2014, 2015 e 2016, o que é que as pessoas queriam? Porque as redes sociais levaram aqueles milhões de brasileiros às ruas: para viver o momento que nós vamos viver hoje. O Jair Bolsonaro foi o homem que conseguiu simbolizar esse sentimento, quebrou todas as referências das propostas da área política ou da área de comunicação, não teve dinheiro para campanha, não teve marqueteiro, não tinha propostas mirabolantes. Ele apresentou ao Brasil princípios e valores e foi com esses princípios e valores que ele chegou até aqui, que ele se conectou com a sociedade”.

AGORA NA AGÊNCIA BRASIL: Jair Bolsonaro assume a Presidência da República hoje (1º). Já na transição, Bolsonaro definiu 22 ministérios, número inferior aos 29 do governo anterior. Os novos ministros serão nomeados hoje (1º) em cerimônia no Palácio do Planalto.

(imagens: Luciano Nascimento/Agência Brasil)

Fonte: Agência Brasil

 

Política Nacional

Reforma da Previdência beneficiará mais pobres, revela ministério

Publicado

em

O crescimento econômico gerado pela reforma da Previdência beneficiará principalmente os 50% mais pobres da população. A conclusão consta de relatório da Secretaria de Política Econômica (SPE), do Ministério da Economia, divulgado em Brasília.

No mês passado, o órgão tinha distribuído nota técnica na qual calculou que a economia cresceria 3,3% em 2023 com a aprovação total da reforma da Previdência, 2,3% com a aprovação parcial e encolheria 1,8% com as regras atuais.
Segundo o documento, a aprovação integral das novas regras poderia gerar até 8 milhões de empregos formais nos próximos quatro anos, mas o ministério não tinha divulgado a distribuição desse crescimento por classes sociais.

Agora, a SPE detalhou o impacto positivo da expansão da economia decorrente da reforma, conforme o nível de renda da população. O levantamento dividiu a população em 10 segmentos, em que o menor corresponde aos 10% mais pobres; e o maior, aos 10% mais ricos, e analisou o aumento da renda em cada faixa em dois cenários.

O estudo considerou o crescimento médio de 3% ao ano da economia até 2023, no caso de aprovação total da reforma, e retração média de 0,5% ao ano no mesmo período, sem mudanças nas regras.

De acordo com a nota técnica, a renda per capita cresceria mais entre os 50% mais pobres da população: de 3,07% por ano em média para o segmento entre 40% e 50% mais pobres a 3,48% por ano para os 10% mais desfavorecidos.

Entre os 50% mais ricos, a renda per capita também subiria, mas em ritmo menor: de 3% ao ano para a faixa entre 40% e 50% mais ricos a 2,63% ao ano entre os 10% mais ricos.

desemprego
Até 8 milhões de empregos com carteira assinada podem ser criados se a reforma da Previdência for aprovada  (Arquivo/Wilson Dias/Agência Brasil)

“A Nova Previdência traz ganhos a todos os brasileiros, mas favorece, particularmente, aqueles com renda mais baixa, cuja renda média terá maior aumento.

As condições econômicas geradas pela Nova Previdência, elevando o emprego, reduzindo a informalidade e estimulando investimentos são fundamentais para o desenvolvimento de uma economia capaz de garantir condições mais seguras aos mais pobres no hoje e no amanhã”, destacou o documento da SPE.

Empregos formais

Conforme o levantamento, dois fatores beneficiarão as camadas mais pobres da população. Em primeiro lugar, o crescimento da economia aumenta a criação de empregos formais e reduz a informalidade, que afeta 91,64% dos 10 % mais pobres e apenas 18% dos 10% mais ricos, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a SPE, até 8 milhões de empregos com carteira assinada seriam criados caso a reforma da Previdência fosse aprovada na totalidade.

A segunda razão para o crescimento da economia ter efeitos mais benéficos sobre as menores faixas de renda é a possibilidade de que a inclusão no mercado formal de trabalho aumente os gastos dessas famílias em educação e saúde.

Fonte: Agência Brasil

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana